segunda-feira, 26 de junho de 2017

Deidade de nós Mañjarīs

Foto: Śrī Śrī Rādhā Kṛṣṇa por Vṛndāvana Dāsa.

"Nós devemos sempre meditar no Svarūpa de Śrī Kṛṣṇa e Śrī Rādhā estando num abraço apertado. Esta é a Deidade adorada suprema de nós Mañjarīs."

(Rādhā Kuṇḍa Mahānta Paṇḍita Śrī Ananta Dāsa Bābājī Mahārāja)

Photo: Śrī Śrī Rādhā Kṛṣṇa by Vṛndāvana Dāsa.

"We should always meditate on the Svarūpa of Śrī Kṛṣṇa and Śrī Rādhā in tight embrace. This is the supreme worshipped Deity of us Mañjarīs."

(Rādhā Kuṇḍa Mahānta Paṇḍita Śrī Ananta Dāsa Bābājī Mahārāja)

Surpreendente

āścarya-vat paśyati kaścid enam
āścarya-vad vadati tathaiva cānyaḥ
āścarya-vac cainam anyaḥ śṛṇoti
śrutvāpy enaṁ veda na caiva kaścit

"Alguns consideram a alma como supreendente, outros descrevem-na como surpreendente, e alguns ouvem dizer que ela é surpreendente, enquanto outros, mesmo após ouvir sobre ela, não podem absolutamente compreendê-la."

(Śrī Kṛṣṇa - Bhagavad-gītā 2.29)

āścarya-vat paśyati kaścid enam
āścarya-vad vadati tathaiva cānyaḥ
āścarya-vac cainam anyaḥ śṛṇoti
śrutvāpy enaṁ veda na caiva kaścit

"Some look on the soul as amazing, some describe him as amazing, and some hear of him as amazing, while others, even after hearing about him, cannot understand him at all."

(Śrī Kṛṣṇa - Bhagavad-gītā 2.29)

Rādhebol !!!

Rādhebol !!!

domingo, 25 de junho de 2017

Livre-arbítrio e Mañjarī-bhāva

Livre-arbítrio, a capacidade de escolher e desejar e Mañjarī-bhāva !!!

Em seus comentários de áudio sobre o Rāga-vartma-candrikā 11, citando o Bhakti-rasāmṛta-sindhu 1.2.294, Advaita Dāsa diz:

"Seguir os Vrajavāsīs de "sua escolha" é um invólucro vazio. Existe um princípio de doação. Anarpita-carīṁ cirāt. Mahāprabhu veio especialmente para DAR este amor de amante por Kṛṣṇa. Se é dado ou colocado no coração pela misericórdia do Senhor Caitanya ou Śrī Guru, não podemos dizer que é nossa escolha."

Também ele explica:

"O livre-arbítrio parece ser uma outra inserção cristã na filosofia Vaiṣṇava Gauḍīya, tão popular entre os racionalistas ocidentais. Existe o Anādi-karma(Vedānta-sūtra 2.1.35) e não há livre-arbítrio quando há Anādi-karma. A entrada em Bhakti não é devido ao livre-arbítrio.

O Jīvātma tem Kartṛtva (poder para agir), mas Kartṛtva é concedido apenas por Deus. É Kartṛtva limitado. Um objecto na escuridão não pode entrar na luz solar, a menos que a luz solar caia sobre ele. O livre-arbítrio é como a vontade de ver. Os olhos podem ver - esta capacidade está lá. Mas os olhos podem ver apenas o que está dentro do seu campo de visão. Se os olhos estão na escuridão, eles só podem ver a escuridão. Eles não conseguem ver a luz. O Bhagavān concede ao Jīva de acordo com seu Svabhāva, Karma, Saṁskāras etc.

O Jīva sempre tem a capacidade de desejar, sensação e acto, mas o que ele quer, sente e faz é restrito por seu próprio Karma, Svabhāva e as sanções do Senhor. Por livre-arbítrio, alguém que está sob Bahiraṅgā-śakti não pode passar para Antaraṅga e vice-versa. Seu livre-arbítrio sob Bahiraṅga-śakti é restrito para actuar dentro de Bahiraṅgā-śakti.

Sanātana Goswāmī diz que há liberdade para os Siddhas em Vaikuṇṭha, mas esta é a liberdade em comparação com este mundo material - a liberdade de Bahiraṅgā-śakti, mas não a liberdade de deixar / cair de Vaikuṇṭha. O Jīva está então sob Antarāṅgā-śakti e será impossível para ele cair. O Mamatva (possessividade) mudou de um corpo morto para Parama-saccidānanda-vastu. Será impossível que Mamatva mude novamente. Siddhi é Siddhi - caso contrário, não é Siddhi - perfeição.

Portanto, o livre-arbítrio do Jīva está dentro dos limites de sua liberdade concedida por Īśvara e está vinculado por seu próprio Karma. Se não houvesse uma pequena independência, o Jīva se tornaria como Jaḍa (matéria morta). Então, todas as injunções escriturais tornar-se-iam inúteis e o defeito de não segui-las viria ao Senhor.

Mas esta independência não é chamada de livre-arbítrio. Isto não está no Svarūpa do Jīva. É uma independência dependente. Como um pássaro capaz de voar dentro de um zoológico. E o pássaro é um peru ou uma galinha. Não é um pavão, águia ou pomba."

Fim das citações.

Embora possamos dizer que os Jīvas (Taṭastha) tem uma pequena independência e alguma habilidade para escolher (livre-arbítrio) ... eles realmente não têm !!!

Devido à grande influência da força de Mahāprabhu [samarpayitum unnatojjvala-rasaṁ]

A palavra Samarpayitum no Anarpita-carīṁ Śloka mostra que não há livre-arbítrio em Rasa. Não escolhemos, mas foi concedido.

Um Sādhana-siddha pode usar o seu livre-arbítrio, mas devido à intensidade de Prema e à associação directa de Śrī Śrī Rādhā Kṛṣṇa e Seus associados no mundo espiritual, ele não mal usa sua independência. E assim, nesta perspectiva, podemos dizer que na verdade ... não temos livre-arbítrio.

Do mesmo modo, o poder da influência da associação Gauḍīya é muito forte e intenso. E, embora possamos estar inclinados a um Rasa diferente de Mādhurya (especificamente Mañjarī-bhāva), devido às impressões de vidas passadas, pela força da forte e intensa associação Gauḍīya, seremos (a grande maioria) "arrastados" para aceitar Mañjarī -bhāva.

Isto ocorre porque o Sthāyi-bhāva pode mudar antes que o aspirante chegue ao estágio de Bhāva (existem 3 tipos de Sthāyi-bhāva, um chamado Svaccha-rūpa-sthāyi-bhāva, emoção influenciada pelas emoções dos outros). Que é a realidade para a maioria dos habitantes de Kali-yuga.

Claro, para aqueles que alcançaram a fase de Bhāva e cristalizaram o seu Sthāyi-bhāva, não será possível mudar, nem é necessário. Pois todos os Rasas são maravilhosos.

O exemplo de Murāri Gupta e Anupama (ambos em Rāma Dāsya). Śrī Caitanya tentou converter Murāri Gupta e Śrī Rūpa e Śrī Sanātana tentaram converter seu irmão Anupama, mas como Murāri Gupta e Anupama já estavam com o Sthāyi-bhāva cristalizado, eles não mudaram.

Quando digo associação Gauḍīya, quero dizer que todos os seguidores de Caitanya estão em Mādhurya (6 Gosvāmīs e não só).

Os seguidores de Nityānanda e Advaita estão em outros Rasas.

O poder da influência da associação Gauḍīya é tão forte e intenso que até os seguidores de Nitāi e Advaita recebem um Svarūpa em Mañjarī-bhāva.

"Todos os Pārṣadas (associados) de Śrī Caitanya Mahāprabhu têm um Svarūpa em Mādhurya-rasa. Advaita Prabhu é Viśākhā e Rati Mañjari. Todas as linhas que descem dos Pārṣadas de Mahāprabhu podem dar Gopī-bhāva e Gopī-prema. Embora eles possam ser famosos como personalidades em Vraja fora de Gopī-bhāva (f.i. Nityānanda é Balarāma, mas também Ananga Mañjari), todos eles também têm um lugar em Gopī-bhāva." (Advaita Dāsa)

E assim, por exemplo, temos o caso de Śrī Dhanañjaya Paṇḍita, que é Vasudāma Sakha, e também pela misericórdia de Mahāprabhu ao mesmo tempo ele é Śrī Madana Mañjarī.

Porque este é o desejo de Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu, que todas as almas de Kali-yuga se ocupem em Rādhā-dāsyaṁ.

Na realidade, o Gauḍīya-rāgānugā-bhakti-sādhaka NÃO tem escolha, uma vez que tudo é dado por Gaurāṅga e todo o Paramparā em Mañjarī-bhāva (e até mesmo os Dvādaśa-gopālas).

Então, devido à força de Mahaprabhu, que quer dar Mādhurya Mañjarī-bhāva [samarpayitum unnatojjvala-rasaṁ], como efeito disso a associação Gauḍīya também é muito forte.

"Os devotos que estão numa relação com a Suprema Personalidade de Deus em amor conjugal são considerados os devotos mais confidenciais do Senhor Śrī Caitanya Mahāprabhu. Aqueles que se engajam no serviço do Senhor Nityānanda Prabhu e Senhor Advaita Prabhu geralmente têm relações de amor parental, fraternidade, servidão e neutralidade. Quando tais devotos desenvolvem grande apego para Śrī Caitanya Mahāprabhu, eles também se situam dentro do círculo íntimo de devotos no amor conjugal." (Śrī Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura - Anubhāṣya CC Ādi-līlā 7.17)

"Quando ele desenvolve seu amor por Nityānanda Prabhu, ele é libertado de todo o apego ao mundo material, e naquele momento ele se torna elegível para entender os passatempos do Senhor em Vṛndāvana. Nessa condição, quando ele desenvolve seu amor pelos seis Gosvāmīs, ele pode entender o amor conjugal entre Rādhā e Kṛṣṇa. Estes são os diferentes estágios da promoção do devoto puro ao amor conjugal no serviço de Rādhā e Kṛṣṇa em um relacionamento íntimo com Śrī Caitanya Mahāprabhu." (Śrīla Prabhupāda - CC Ādi-līlā 7.17)

Na verdade, não há linhagem proeminente em Sakhya-bhāva. E aqueles devotos Gauḍīyas que seguem este humor de Sakhya realmente promovem Mañjarī-bhāva.

"Aqueles influenciados por Sakhya-bhāva não estão em concorrência com Mañjarī-bhāva e não há necessidade dos Mañjarī-bhāva Upāsakas militar contra isso. Na verdade, sob a influência do setor de Sakhya-bhāva Nitāi fez mais para promover Gopī-bhāva do que qualquer outro setor. Nitāi começou a adoração de Gaura. Foi sob Sua influência que o Caitanya-bhāgavata e Caitanya-caritāmṛta foram escritos. O caminho para Gopī-bhāva passa por Ele. Como Narottama Dāsa Ṭhākura canta, heno nitāi bine bhāi, rādhā- kṛṣṇa pāite nāi." (Tripurāri Svāmī)

Então, para as perguntas: "suponha que alguém se associe intimamente com um devoto que está seguindo Subala para se tornar um Priya-narmā-sakha, e ele também se associa intimamente com alguém seguindo Rūpa-mañjarī para se tornar uma Mañjarī. Qual o influenciará mais? Quem ele vai seguir?"

Aquele que mais o influenciará é o devoto em Mañjarī-bhāva seguindo Rūpa-mañjarī, devido à influência de Gaurāṅga Ele mesmo e de todo o Paramparā em Mañjarī-bhāva (e até mesmo os Dvādaśa-gopālas)

Sem dúvida, é o Sādhaka que terá que escolher, mas esta escolha será de acordo com a forte influência recebida pela associação na vida presente.

Somos seguidores de Gaurāṅga !!!

Free will, the ability to choose and desire and Mañjarī-bhāva !!!

In his audio comments on Rāga-vartma-candrikā 11, quoting Bhakti-rasāmṛta-sindhu 1.2.294 Advaita Dāsa says: 

“Following the Vrajavāsīs of “your choice” is an empty shell. There’s a principle of bestowal. Anarpita-carīṁ cirāt. Mahāprabhu came especially to GIVE this amorous love for Kṛṣṇa. If it is given or placed in the heart by mercy of Lord Caitanya or Śrī Guru, we cannot say it is our own choice.”

Also he explains:

"Free will seems another Christian insertion into Gauḍīya Vaiṣṇava philosophy so popular with western rationalists. There is Anādi karma (Vedānta-sūtra 2.1.35) and there is no question of free will when there is Anādi-karma. The entry into Bhakti is not due to free will.

The Jīvātma has Kartṛtva (power to act), but that Kartṛtva is granted by God only. It is limited Kartṛtva. An object in darkness cannot get into the sunlight unless the sunlight falls on it. Free will is like the will to see. The eyes can see - that much capacity is there. But the eyes can see only that which is within its field of vision. If the eyes are in darkness, they can only see darkness. They cannot see light. Bhagavān prompts the Jīva according to his Svabhāva, Karma, Saṁskāras etc. 

The Jīva always has the capacity to will, feel and act, but what he wills, feels and does is restricted by his own Karma, Svabhāva and the Lord's sanctions. By free will, one who is under Bahiraṅgā-śakti cannot come under Antaraṅga and vice-versa. His free will under Bahiraṅga-śakti is restricted to acting within Bahiraṅgā-śakti.

Sanātana Goswāmī says there is freedom for the Siddhas in Vaikuṇṭha, but that is freedom compared to this material world - freedom from the Bahiraṅgā-śakti, but not freedom to leave/fall from Vaikuṇṭha. The Jīva is then under the Antarāṅgā-śakti and it will be impossible for him to fall. The Mamatva (possessiveness) has changed from a dead body to Parama-saccidānanda-vastu. It will be impossible for Mamatva to change again. Siddhi is Siddhi - otherwise it is not Siddhi - perfection.

Therefore, the Jīva's free will is within the limits of his freedom as granted by Īśvara and is bound by his own Karma. If minute independence is not there, then the Jīva would become like Jaḍa (dead matter). Then all scriptural injunctions will become useless and the defect of not following them will come to the Lord. 

But that independence is no way called free will. That is not there in the Jīva's Svarūpa. It is a dependent independence. Like a bird able to fly inside a zoo. And the bird is a turkey or a hen. Not a peacock, eagle or dove."

End of quotes.

Even though we may say that the Jīvas (Taṭastha) has a tiny independence and some ability to choose (free will) ... they do not really have !!!

Due to the great influence of Mahāprabhu's strength [samarpayitum unnatojjvala-rasaṁ]

The word Samarpayitum in the Anarpita-carīṁ Śloka shows there's no free will in Rasa. Its not chosen but bestowed. 

A Sādhana-siddha may use his free will, but because of the intensity of Prema and the direct association of Śrī Śrī Rādhā Kṛṣṇa and Their associates in the spiritual world, he does not misuse his independence. And so, in this perspective we can say that in fact ... we do not have free will.

Likewise, the power of the Gauḍīya association's influence is very strong and intense. And although we may be inclined to a Rasa other than Mādhurya (specifically Mañjarī-bhāva), due to the impressions of past lives, by force of the strong and intense Gauḍīya association we will be (the great majority) "dragged" to accept Mañjarī-bhāva.

This is because the Sthāyi-bhāva may change before the aspirant reaches the stage of Bhāva (there are 3 types of Sthāyi-bhāva, one called Svaccha-rūpa-sthāyi-bhāva, emotion influenced by others' emotions). What is the reality for most of the inhabitants of Kali-yuga. 

Of course, for those who have reached the phase of Bhāva, and have crystallized their Sthāyi-bhāva, it will not be possible to change, nor it is required. For all Rasas are wonderful. 

The example of Murāri Gupta and Anupama (both in Rāma Dāsya). Śrī Caitanya attempted to convert Murāri Gupta and Śrī Rūpa and Śrī Sanātana attempted to convert their brother Anupama, but as Murāri Gupta and Anupama were already with the crystallized Sthāyi-bhāva they did not change.

When I say Gauḍīya association, I mean that all Caitanya's followers are in Mādhurya (6 Gosvāmīs and not only). 

Followers of Nityānanda and Advaita are in other Rasas.

The power of the Gauḍīya association's influence is so strong and intense that even followers of Nitāi and Advaita receive a Svarūpa in Mañjarī-bhāva.

“All Pārṣadas (associates) of Śrī Caitanya Mahāprabhu have a Svarūpa in Mādhurya-rasa. Advaita Prabhu is Viśākhā and Rati Mañjari. All lines descending from Mahāprabhu’s Pārṣadas can bestow Gopī-bhāva and Gopī-prema. Though they may be famous as personalities in Vraja outside of Gopī-bhāva (f.i. Nityānanda is Balarāma but also Ananga Mañjari), they all have a place in Gopī-bhāva as well.” (Advaita Dāsa)

And so, for example, we have the case of Śrī Dhanañjaya Paṇḍita who is Vasudāma Sakha and also by the mercy of Mahāprabhu, he, at the same time, is Śrī Madana Mañjarī.

Because this is the desire of Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu, may all the souls of Kali-yuga occupy themselves in Rādhā-dāsyaṁ.

In reality the Gauḍīya-rāgānugā-bhakti-sādhaka has NO choice, since it’s all given by Gaurāṅga Himself and all the Paramparā in Mañjarī-bhāva (and even the Dvādaśa-gopāla). 

So, due to the strength of Mahaprabhu Who wants to give Mādhurya Mañjarī-bhāva [samarpayitum unnatojjvala-rasaṁ], as effect, Gauḍīya association is also very strong.

"Devotees who are in a relationship with the Supreme Personality of Godhead in conjugal love are considered to be the most confidential devotees of Lord Śrī Caitanya Mahāprabhu. Those who engage in the service of Lord Nityānanda Prabhu and Lord Advaita Prabhu generally have relationships of parental love, fraternity, servitude and neutrality. When such devotees develop great attachment for Śrī Caitanya Mahāprabhu, they too become situated within the intimate circle of devotees in conjugal love.” (Śrī Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura - Anubhāṣya CC Ādi-līlā 7.17)

"When he develops his love for Nityānanda Prabhu he is freed from all attachment to the material world, and at that time he becomes eligible to understand the Lord’s pastimes in Vṛndāvana. In that condition, when one develops his love for the six Gosvāmīs, he can understand the conjugal love between Rādhā and Kṛṣṇa. These are the different stages of a pure devotee’s promotion to conjugal love in the service of Rādhā and Kṛṣṇa in an intimate relationship with Śrī Caitanya Mahāprabhu." (Śrīla Prabhupāda - CC Ādi-līlā 7.17)

In fact, there is no prominent lineage in Sakhya-bhāva. And those Gauḍīyas devotees who follow this mood of Sakhya actually promote Mañjarī-bhāva.

"Those influenced by Sakhya-bhāva are not in competition with Mañjarī-bhāva and there is no need for Mañjarī-bhāva Upāsakas to militate against it. Indeed, under the influence of Sakhya-bhāva Nitāi’s sector has done more to promote Gopī-bhāva than any other sector. Nitāi started the worship of Gaura. It is under His influence that Caitanya-bhāgavata and Caitanya-caritāmṛta were written. The road to Gopī-bhāva goes through Him. As Narottama Dāsa Ṭhākura sings, heno nitāi bine bhāi, rādhā-kṛṣṇa pāite nāi." (Tripurāri Svāmī)

So, for the questions: "suppose someone associates intimately with a devotee who is following Subala to become a Priya-narmā-sakha, and he also associates intimately with someone following Rūpa-mañjarī to become a Mañjarī. Which one will influence him the most? Who will he follow?" 

The one which will influence him the most is  the devotee in Mañjarī-bhāva following Rūpa-mañjarī, due to the influence of Gaurāṅga Himself and all the Paramparā in Mañjarī-bhāva (and even the Dvādaśa-gopāla)

No doubt it is the Sādhaka that will have to choose, but this choice will be according to the strong influence received by the association in the present life.

We are followers of Gaurāṅga !!!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

A filosofia de Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu

Foto: Pañca-tattva nas margens do Gaṅgā. Por Vṛndāvana Dāsa

A filosofia de Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu resumida em um verso:

ārādhyo bhagavān vrajeśa tanayas taddhāma vṛndāvanaṁ
ramyā kācid upāsanā vrajavadhū vargeṇa yā kalpitā
śāstraṁ bhāgavatam pramāṇam amalaṁ prema pumārtho mahān
śrī caitanya mahāprabhor matam idaṁ tatrādaro naḥ para

"1 - O Senhor adorável é Kṛṣṇa, o filho do rei Nanda de Vraja.

2 - A morada em que adoramo-Lo é Vṛndāvana.

3 - O agradável método de adoração é o das esposas pastorinhas de Vraja (as Gopīs).

4 - A sagrada escritura Bhāgavatam é a autoridade imaculada.

5 - A maior busca da vida humana é Prema, amor a Deus.

Esta é a opinião de Śrī Caitanya Mahāprabhu.

Isto merece nosso mais alto respeito, atenção e amor."

(Por Śrīnātha Cakravarti, discípulo de Śrī Advaita Ācārya e Guru de Kavi Karṇapura)

Photo: Pañca-tattva on bank of Gaṅgā. By Vṛndāvana Dāsa

Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu's philosophy summarized in one verse:

ārādhyo bhagavān vrajeśa tanayas taddhāma vṛndāvanaṁ
ramyā kācid upāsanā vrajavadhū vargeṇa yā kalpitā
śāstraṁ bhāgavatam pramāṇam amalaṁ prema pumārtho mahān
śrī caitanya mahāprabhor matam idaṁ tatrādaro naḥ para

“1 - The worshipable Lord is Kṛṣṇa, the son of king Nanda of Vraja. 

2 - The abode in which we worship Him is Vṛndāvana. 

3 - The delightful method of worship is that of the cowherd wives of Vraja (the Gopīs). 

4 - The holy scripture Bhāgavatam is the spotless authority. 

5 - The greatest pursuit of human life is Prema, love of God. 

This is the opinion of Śrī Caitanya Mahāprabhu. 

This deserves our highest respect, care and love."

(By Śrīnātha Cakravarti, disciple of Śrī Advaita Ācārya and Guru of Kavi Karṇapura)

Bhakti-rasa pode ser entendida por um estudante sério

"O actual movimento da consciência de Kṛṣṇa também é baseado na autoridade de Śrīla Rūpa Gosvāmī Prabhupāda. Geralmente, somos conhecidos como Rūpānugas, ou seguidores dos passos de Śrīla Rūpa Gosvāmī Prabhupāda. 

É apenas para nossa orientação que Śrīla Rūpa Gosvāmī preparou seu livro Bhakti-rasāmṛta-sindhu, que agora é apresentado sob a forma de O Nectar da Devoção. As pessoas envolvidas no movimento da consciência de Kṛṣṇa podem tirar proveito desta grande literatura e estar muito solidamente situadas na consciência de Kṛṣṇa.

Esta ocupação eterna em Bhakti-rasa pode ser entendida por um estudante sério que estuda o Néctar de Devoção."

(Śrīla Prabhupāda - O Néctar da Devoção - Prefácio)

"The present Kṛṣṇa consciousness movement is also based on the authority of Śrīla Rūpa Gosvāmī Prabhupāda. We are therefore generally known as Rūpānugas, or followers in the footsteps of Śrīla Rūpa Gosvāmī Prabhupāda.

It is only for our guidance that Śrīla Rūpa Gosvāmī prepared his book Bhakti-rasāmṛta-sindhu, which is now presented in the form of The Nectar of Devotion. Persons engaged in the Kṛṣṇa consciousness movement may take advantage of this great literature and be very solidly situated in Kṛṣṇa consciousness.

This eternal engagement in Bhakti-rasa can be understood by a serious student upon studying The Nectar of Devotion."

(Śrīla Prabhupāda - The Nectar of Devotion - Preface)

Os Gauḍīya Vaiṣṇavas estão interessados ​​em Mañjarī-bhāva


Srila Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura - Amṛta Vāṇī: Néctar de Instrucções para a Imortalidade:

Quem são os Gauḍīya Vaiṣṇavas?

Os devotos de Viṣṇu são chamados de Vaisnavas, os devotos de Kṛṣṇa são chamados Kārṣṇas, e os devotos de Śrī Rādhā são chamados Gauḍīyas.

Os devotos do Senhor Gaurāṅga, que estão sob o abrigo de Parakīya-mādhurya-rati e que seguem Śrī Rūpa, são chamados Gauḍīyas.

Os Gauḍīya Vaiṣṇavas seguem Śrī Svarūpa Dāmodara Gosvāmī, a encarnação de Lalitā. Portanto, eles podem ser definidos como seguidores de Śrī Svarūpa e Śrī Rūpa. Portanto, Mahāprabhu comentou a Śrī Svarūpa Dāmodara Prabhu: "Este é o comportamento de seus devotos Gauḍīya."

Os Gauḍīya Vaiṣṇavas estão interessados ​​em Mañjarī-bhāva, e Śrī Rādhā-Govinda, Śrī Rādhā-Gopīnātha e Śrī Rādhā-Madana-mohana são suas Deidades adoráveis.

O Śrī Caitanya-caritāmṛta declara:

śrī-rādhā-saha 'śrī-madana-mohana',
śrī-rādhā-saha 'śrī-govinda'-caraṇa
śrī-rādhā-saha śrīla 'śrī-gopīnātha',
ei tina ṭhākura haya 'gauḍiyāra nātha'

As Deidades de Vṛndāvana de Madana-mohana com Śrīmatī Rādhārāṇī, Govinda com Śrīmatī Rādhārāṇī e Gopīnātha com Śrīmatī Rādhārāṇī são a vida e a alma dos Gauḍīya Vaiṣṇavas. (Caitanya-caritāmṛta Antya 20.142-143)

ei tina ṭhākura gauḍīyāke kariyāchena ātmasāt,
e tinera caraṇa vandoṅ, tine mora nātha

Estas três Deidades de Vṛndāvana [Madana-mohana, Govinda e Gopīnātha] absorveram o coração e a alma dos Gauḍīya Vaiṣṇavas [seguidores do Senhor Caitanya]. Eu adoro Seus pés de lótus, pois Eles são os Senhores do meu coração.
(Caitanya-caritāmṛta Ādi 1.19)

Srila Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura – Amṛta Vāṇī: Nectar of Instructions for Immortality:

Who are the Gauḍīya Vaiṣṇavas?

Devotees of Viṣṇu are called Vaisnavas, devotees of Kṛṣṇa are called Kārṣṇas, and the devotees of Śrī Rādhā are called Gauḍīyas.

Lord Gaurāṅga’s devotees, who are under the shelter of parakīya-mādhurya-rati and who follow Śrī Rūpa, are called Gauḍīyas.

The Gauḍīya Vaiṣṇavas follow Śrī Svarūpa Dāmodara Gosvāmī, the incarnation of Lalitā. Therefore they can be defined as followers of Śrī Svarūpa and Śrī Rūpa. Therefore Mahāprabhu commented to Śrī Svarūpa Dāmodara Prabhu, “This is the behavior of your Gauḍīya devotees.”

The Gauḍīya Vaiṣṇavas are interested in mañjarī-bhāva, and Śrī Rādhā-Govinda, Śrī Rādhā-Gopīnātha, and Śrī Rādhā-Madana-mohana are their worshipable Deities.

Śrī Caitanya-caritāmṛta states:

śrī-rādhā-saha ‘śrī-madana-mohana’,
śrī-rādhā-saha ‘śrī-govinda’-caraṇa
śrī-rādhā-saha śrīla ‘śrī-gopīnātha’,
ei tina ṭhākura haya ‘gauḍiyāra nātha’

The Vṛndāvana Deities of Madana-mohana with Śrīmatī Rādhārāṇī, Govinda with Śrīmatī Rādhārāṇī, and Gopīnātha with Śrīmatī Rādhārāṇī are the life and soul of the Gauḍīya Vaiṣṇavas. (Caitanya-caritāmṛta Antya 20.142-143)

ei tina ṭhākura gauḍīyāke kariyāchena ātmasāt,
e tinera caraṇa vandoṅ, tine mora nātha

These three Deities of Vṛndāvana [Madana-mohana, Govinda, and Gopīnātha] have absorbed the heart and soul of the Gauḍīya Vaiṣṇavas [followers of Lord Caitanya]. I worship Their lotus feet, for They are the Lord’s of my heart.
(Caitanya-caritāmṛta Ādi 1.19)

O Oceano de Bhakti-rasa


Śrī Bhakti-rasāmṛta-sindhu (O Oceano de Bhakti-rasa) com comentários de Śrīla Jīva Gosvāmī e Śrīla Viśvanātha Cakravartī Ṭhākura feito por SS Bhānu Svāmī.

Rasa ... e citações fora de contexto

Srila Bhaktivinoda Thakura e RASA !!! E citações FORA de contexto !!!

Este é o grande problema de mostrar citações FORA de contexto.

Na passagem do Śrī Caitanya Śikṣāmrta onde Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura diz "se qualquer pessoa diz que ele irá lhe ensinar o Sādhana de Rasa, ele é um impostor ou um tolo", ele está a referir-se aqueles grupos (muito comuns na India) que afirmam que para experimentar Mādhurya-rasa é preciso associar-se com o sexo oposto.

Esta passagem não tem nada a ver com Rāgānugā-sādhana-bhakti.

Aqui reproduzo a passagem completa:

"Aqueles que ouvem sobre Rasa e desejam desenvolver seu próprio Rasa devem lembrar que não devem permitir a natureza desprezível do Rasa material entrar em suas práticas.

Alguns grupos, sob a aparência de produzir Rasa espiritual recorrem ao Rasa material e conseqüentemente se desviam do caminho correcto.

Desta forma, a alma pode cair de sua posição. Rasa só pode ser produzido no corpo espiritual da alma, e nunca pode ser produzido a partir do corpo material de uma alma condicionada.

Aqueles que tentam induzir a experiência de Mādhurya-rasa por associação com mulheres estão simplesmente criando seu próprio caminho para o inferno.

Eles fazem o que não é espiritual, e, finalmente, caem de sua posição.

Aqueles que estão cultivando Rasa devem ter muito cuidado com essas pessoas. Eles não devem ouvir o conselho de pretendentes de prazer. Aqueles que atingiram o nível de Prema e estão completamente desapegados dos prazeres mundanos estão qualificados para Rasa. Aqueles que ainda não atingiram a pura Rati e o controle dos sentidos fazem tentativas fúteis de se tornarem qualificados para Rasa através da prática de Rasa. O gosto que surge naturalmente em uma pessoa no nível de Prema se chama Rasa. A discussão de Rasa é somente uma descrição de como os vários elementos se combinam em diferentes Rasas; ela não é parte de Sādhana. Portanto, se qualquer pessoa diz que ele irá lhe ensinar o Sādhana de Rasa, ele é um impostor ou um tolo.

Rasa não é uma questão de compreensão, mas uma questão de degustação.

Existem cinco elementos distintos em Rasa: Sthāyi-bhāva, Vibhāva, Anubhāva, Sāttvika and Vyabhicārī. 

Se uma pessoa que desenvolveu Rati é um Sādhaka ou um Siddha, ele é qualificado para saborear Rasa.

Um Sādhaka de Prema (um aspirante de Prema, Premārurukṣu) é uma pessoa que desenvolveu Rati, mas ainda tem um obstáculo para superar.

Progredindo através de Niṣṭhā, Ruci e Āsakti, os Anarthas foram gradualmente dissolvidos. O apego material grosseiro também desaparece, mas enquanto o corpo subtil permanece, ele ainda tem contacto com a matéria. Isso será muito rapidamente removido pela misericórdia de Kṛṣṇa. Este contacto com a matéria é chamado de obstáculo. Enquanto este obstáculo permanece, a alma não consegue atingir Vastu-siddhi, sua forma espiritual real.

No entanto, quando uma pessoa com Rati avança para Prema, ela está qualificada para obter Rasa (mesmo possuindo um corpo material), e essa conquista é chamada Svarūpa-siddhi.

Pela combinação adequada de Vibhāva, Anubhāva, Sāttvika e Vyabhicārī com Sthāyi-bhāva, Rasa aparece. Aqueles que estão qualificados serão capazes de entender sobre Rasa, no entanto aqueles envolvidos no Rasa material não são qualificados para o supremo Rasa."

Também no Jaiva Dharma, Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura explica:

"Vrajanātha: quantos tipos de kṛṣṇa-bhaktas estão aptos para experimentar rasa?

Gopāla Guru Gosvāmī: Existem dois tipos: o sādhaka e o siddha.

Vrajanātha: Quem é um sādhaka?

Gopāla Guru Gosvāmī: Sādhakas são aqueles em quem ruci para os tópicos de Kṛṣṇa surgiu, e que adquiriram a qualificação para darśana directo de Kṛṣṇa, mas que ainda não superaram completamente todos os obstáculos e dificuldades. Madhyama-bhaktas adornados com os sintomas descritos no Śrīmad-bhāgavatam (11.2.46), īśvare tadadhīneṣu, estão na categoria de sādhaka."

Houve um individuo chamado Rūpa Kavirāja (não o nosso Śrīla Rūpa Gosvāmī) que propagou a idéia de que tanto interna quanto externamente (com o corpo físico) o Sādhaka deveria actuar como uma Gopī.

Toda a advertência e precaução dos Ācāryas contra o Sahajiyāismo refer-se a este grupo e não contra o Rāgānugā-sādhana autêntico como ensinado no Bhakti-rasāmṛta-sindhu pelo Rasa Ācārya Śrīla Rūpa Gosvāmī (Rūpa Mañjarī).

Portanto, muito CUIDADO com citações fora de contexto !!!

Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura and RASA !!! And quotes OUT of context !!!

This is the big problem of showing quotes OUT of context.

In the passage of Śrī Caitanya Śikṣāmrta where Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura says "if anyone says that he will teach you Sādhana of Rasa, he is an impostor or a fool," he is referring to those groups (very common in India) who affirm that to experience Mādhurya-rasa one must associate with the opposite sex.

This passage has nothing to do with Rāgānugā-sādhana-bhakti.

Here I reproduce the complete passage:

"Those who hear about Rasa and desire to develop their own Rasa should just remember that they should not allow the despicable nature of material rasa to enter into their practices. 

Some groups, under the guise producing spiritual Rasa resort to material Rasa, and consequently deviate from the correct path. 

In this way the soul can fall from his position. Rasa can only be produced in the spiritual body of the soul, and can never be produced from the material body of a conditioned soul.

Those who try to induce the experience of Mādhurya-rasa by association with women are simply creating their own path to hell. They do that which is not at all spiritual, and ultimately fall from their position. Those who are cultivating Rasa must be very careful of such people. They should not listen to the advice of pretenders fond of pleasure. 

Those who have attained the level of Prema and are completely detached from worldly pleasure are qualified for Rasa. Those who have not attained pure Rati and sense control make futile attempts to become qualified for Rasa by practicing Rasa. That taste which arises naturally in a person on the level of Prema is called Rasa. The discussion of Rasa is only a description of how the various elements combine in the different Rasas; it is not a part of Sādhana. Therefore, if anyone says that he will teach you the Sādhana of Rasa, he is an impostor or a fool.

Rasa is not a matter of understanding, but a matter of tasting. 

There are five distinct elements in Rasa: Sthāyi-bhāva, Vibhāva, Anubhāva, Sāttvika and Vyabhicārī. 

Whether a person who has developed Rati is a Sādhaka or a Siddha, he is qualified for tasting Rasa. 

A Sādhaka for Prema ( an aspirant for Prema, Premārurukṣu) is a person who has developed Rati but still has an obstacle to surpass. By progressing through Niṣṭhā, Ruci and Āsakti, the Anarthas have gradually been dissolved. The material attachment is also gone, but as long as the subtle body remains, he still has contact with matter. That will be very quickly removed by Kṛṣṇa's mercy. That contact with matter is called an obstacle. As long as that obstacle remains, the soul cannot attain Vastu-siddhi, his real spiritual form.

However, when a person with Rati advances to Prema, he is qualified for obtaining Rasa (even possessing a material body), and that attainment is called Svarūpa-siddhi.

By the suitable combination of Vibhāva, Anubhāva, Sāttvika and Vyabhicārī with Sthāyi-bhāva, Rasa makes its appearance. Those who are qualified will be able to understand about Rasa; those involved in material Rasa are not qualified for the supreme Rasa."

Also in Jaiva Dharma, Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura explains:

"Vrajanātha: How many types of kṛṣṇa-bhaktas are fit to experience rasa?

Gopāla Guru Gosvāmī: There are two types: the sādhaka and the siddha.

Vrajanātha: Who is a sādhaka?

Gopāla Guru Gosvāmī: Sādhakas are those in whom ruci for the topics of Kṛṣṇa has arisen, and who have acquired the qualification to have direct darśana of Kṛṣṇa, but who have not yet completely surpassed all obstacles and difficulties. Madhyama-bhaktas adorned with the symptoms described in Śrīmad-bhāgavatam (11.2.46), īśvare tadadhīneṣu, are in the category of sādhaka."

There was one individual named Rūpa Kavirāja (not our Śrīla Rūpa Gosvāmī) who propagated the idea that both internally and externally (with the physical body) the Sādhaka should act as a Gopī.

The whole warning and caution of the Ācāryas against Sahajiyāism refers to this group and not against the authentic Rāgānugā-sādhana as taught in the Bhakti-rasāmṛta-sindhu by the Rasa Ācārya Śrīla Rūpa Gosvāmī (Rūpa Mañjarī).

So be very careful with quotes OUT of context !!!