segunda-feira, 18 de junho de 2018

Você é iniciado, então pode ler


"Quanto à restrição de ler os passatempos de Kṛṣṇa no 10º canto. Isto é apenas para aqueles que não sabem o que é Kṛṣṇa. Mas você é iniciado, então você pode ler porque você sabe quem é Kṛṣṇa."

(Śrīla Prabhupāda - Carta a Chaturbhus 29/12/1971)

"As far as the restriction for reading the 10th canto pastimes of Kṛṣṇa. That is only for those who do not know what is Kṛṣṇa. But you are initiated, so you can read because you know who Kṛṣṇa is."

(Śrīla Prabhupāda - Letter to Chaturbhus 29/12/1971)

quarta-feira, 13 de junho de 2018

O centro nevrálgico


Smaranam, o centro nevrálgico de Bhajana

"Se Sravanam e Kirtanam são o coração do Vaisnava Bhajana, Smaranam é o centro nevrálgico do Bhajana.

Existem dois aspectos em Bhajana, externo e interno. O corpo e os sentidos de uma entidade viva são continuamente bombardeados com impressões de objectos dos sentidos que tornam a entidade viva suscetível a não ficar firme. Esta falta de firmeza leva a entidade viva para longe do Prayojana ou o objectivo final.

Sravanam e Kirtanam são extremamente importantes para equilibrar a dissipação externa da força vital e focalizá-la no Senhor e em Suas glórias. Este é o primeiro passo em Bhajana Kriya. Sem primeiro alinhar as forças vitais em direcção a um objectivo elevado, a jornada sequer é considerada como tendo começado.

Sriman Caitanya Mahaprabhu veio ao mundo 532 anos atrás para apresentar os dois aspectos do Bhajana. Ele distribuiu universalmente os aspectos externos do Bhajana de modo que alguém fique em um terreno firme antes que avance para o próximo nível do Bhajana que é interno, que é focado para dentro e que envolve a entrada em vigor das faculdades mentais internas e Chitta visando alcançar o Prayojana ou o objectivo final de Prema.

Smaranam é o segundo aspecto do Bhajana e, sem poder centrar nossas mentes para os eternos passatempos do Senhor, a forma do Senhor e as qualidades variadas do Senhor, é impossível atingir o objectivo final. Smaranam consuma todo o processo do Bhajana e se torna o único aspecto do Bhajana através do qual a perfeição é alcançada.

Embora Sravanam e Kirtanam permaneçam como parte integrante do Bhajana, a menos que esses aspectos fluam para Smaranam, a perfeição no Bhajana nunca poderá ser alcançada.

Smaranam é suportado quando a entidade viva desenvolve intimidade para o “Visaya” ou o objectivo estimado que é o Senhor. Quando a afinidade mental é suficientemente desenvolvida, Smaranam se torna natural.

Concentração e Meditação são os dois principais membros do processo de Smaranam. Quando o Sadhaka se concentra em aspectos eternos do Senhor, ele entra em um domínio que é intocado pela natureza material. A fixação concentrada da mente em objectos transcendentais resulta automaticamente em meditação ou identificação com o objecto de concentração, com o resultado do qual o Sadhaka desenvolve extremo apego ou afinidade para com o Senhor.

Deve-se tentar focar a mente, praticando a concentração nos seguintes itens eternos como parte do Bhajana. Eles são:

- Os símbolos dos pés e mãos dos residentes eternos de Goloka e Nabadvipa Dhama

- Os 8 passatempos do senhor em Goloka

- As qualidades espirituais do Senhor de Goloka

- A parafernália detalhada do Senhor, incluindo trajes e acessórios

- Os passatempos transaccionais do Senhor com Seus devotos

Alcança-se a perfeição na concentração nos objectos acima, ao praticar durante o Bhajana, e lembrando-os casualmente várias vezes durante o dia, ou quando se está envolvido também com outras actividades mundanas.

Quando se desenvolve intensidade e regularidade na concentração, os Anarthas profundamente enraizados do Sadhaka são destruídos gradualmente. Uma pessoa será capaz de avaliar a liberdade dos Anarthas na mesma medida em que o Sadhaka tem apego pelo processo de Smaranam e a facilidade com que esses itens transcendentais estão sendo trazidos para a frente no campo de consciência do Sadhaka.

Prática sustentada através da concentração Smaranam gradualmente qualificará o praticante para o próximo aspecto de Smaranam que é meditação. Como Anartha Nivritti é afectada e diminuída pela concentração em objectos transcendentais, a meditação simplesmente segue.

Durante a meditação, o Sadhaka será capaz de transcender o estado de sono e vigília e entrar em um túnel profundo dentro de seu domínio de consciência, onde poderá experimentar um ambiente ininterrupto da presença do Senhor.

É esta profundidade na meditação que então abrirá as comportas de Nitya Lila ou o acesso aos eternos passatempos do Senhor, além do escudo dos Anarthas e da experiência mundana."

(Sri Prema Dasa Babaji Maharaja do Nityananda Parivara)

Smaranam, Nerve Centre of Bhajana 

"If Sravanam and Kirtanam is the heart of Vaisnava Bhajana, Smaranam is the Nerve Centre of Bhajana. 

There are two aspects in Bhajana namely external and internal. The body and the senses of a living entity are continually being bombarded with impressions from sense objects which makes the living entity susceptible to infirmity. This infirmity leads the living entity far away from Prayojana or the final objective. 

Sravanam and Kirtanam are extremely important to balance the external dissipation of the life force and focus it on the Lord and His glories. This is the first step in Bhajana Kriya. Without first aligning the life-forces towards a lofty objective, the journey is not even considered to have begun. 

Sriman Caitanya Mahaprabhu came to the world 532 years ago to present the two aspects of Bhajana. He universally distributed the external aspects of Bhajana so that one is on a firm ground before one progresses to the next level of Bhajana which is internal, which is inward focused and that which involves bringing into force the internal faculties of mind and Chitta aimed at attaining the Prayojana or the final objective of Prema.

Smaranam is the second aspect of Bhajana and without being able to centre our minds towards the Lord’s eternal pastimes, the form of the Lord and the variegated qualities of the Lord, it is impossible to attain the final objective. Smaranam consummates the entire process of Bhajana and becomes the sole aspect of Bhajana through which perfection is attained. 

Although Sravanam and Kirtanam remain an integral part of Bhajana, unless these aspects flow into Smaranam, perfection in Bhajana can never be attained. 

Smaranam is endured when the living entity develops intimacy towards the “Visaya” or the cherished objective who is the Lord. When mental affinity is sufficiently developed Smaranam becomes natural. 

Concentration and Meditation are the major two limbs of the Smaranam process. When the Sadhaka concentrates on eternal aspects of the Lord, he enters into a domain which is untouched by material nature. Concentrated fixation of the mind on transcendental objects then automatically results in meditation or identification with the object of concentration as a result of which the Sadhaka develops extreme attachment or affinity towards the Lord. 

One should try to attach one’s mind by practising concentration on the following eternal items as a part of one’s Bhajana. They are:

- The feet and hand symbols of eternal residents of Goloka and Nabadvipa Dhama

- The 8 fold pastimes of the Lord in Goloka

- The spiritual qualities of the Lord of Goloka

- The detailed paraphernalia of the Lord including attire and accessories

- The transactional pastimes of the Lord with His devotees

One attains perfection in concentration on the above objects as one practises these during one’s Bhajana as well as remembering them casually multiple times during the course of the day or as one is involved with other mundane activities as well. 

When one develops intensity and regularity in concentration, the deep rooted Anarthas of the Sadhaka get destroyed gradually. One will be able to assess one’s freedom from Anarthas to the extent to which the Sadhaka has attachment for the Smaranam process and the ease with which these transcendental items are being brought to the front in the field of consciousness of the Sadhaka. 

Sustained practice through concentration Smaranam will then gradually qualify to the next aspect of Smaranam which is meditation. As Anartha Nivritti is affected by concentration on transcendental objects, meditation simply follows. 

During meditation the Sadhaka will be able to transcend the sleep and waking state and go into a deep tunnel within his consciousness domain, where he will be able to experience an unbroken milieu of the Lord’s presence. 

It is this depth in meditation that will then open up the floodgates of Nitya Lila or access to the eternal pastimes of the Lord, beyond the shield of Anarthas and mundane experience."

(Sri Prema Dasa Babaji Maharaja from Nityananda Parivara)

terça-feira, 12 de junho de 2018

Mais claro, impossível !!!

Lobha revisitada !!!

É elegível para iniciar o caminho de Raganuga o praticante que possui Lobha. 

Lobha desperta logo no começo para aqueles com a boa fortuna de associar-se desde o ínicio com Rasika Vaisnavas elevados fixos em Vraja Rasa (o que faz com que o praticante fique fixo e focado logo no princípio), ou um pouco depois, em Nisthita Bhajana Kriya (Nistha) para outros sem esta associação.

“É descrito que os DEVOTOS NO CAMINHO DE RAGA PROGRIDEM GRADUALMENTE  a partir da RENDIÇÃO INICIAL AOS PÉS DE SRI GURU ATÉ O ESTÁGIO FINAL de alcançar directamente o objecto de seus desejos. " Quando o olho é untado com pomada medicinal, a sua capacidade de percepção torna-se cada vez mais refinada e, consequentemente, é capaz de perceber mais e mais objectos subtis; da mesma forma, de acordo com o grau de purificação que a mente tenha alcançado pela audição e canto de Meus passatempos purificadores, todas as verdades subtis da realidade manifestam-se no coração do Sadhaka." A partir destas palavras do Senhor, compreende-se que ATRAVÉS DE Raganuga-sadhana-bhakti, a consciência do Sadhaka torna-se MAIS PURIFICADA A CADA DIA, e gradualmente o Sadhaka torna-se mais e mais ávido."

(Srila Visvanatha Cakravarti Thakura - Raga Vartma Candrika 1.8)

“Aqueles que têm avidez (têm Lobha) para atingir o humor dos eternos Ragatmika Vrajavasis, SÃO ELEGÍVEIS para entrar em Raganuga Bhakti.”

(Srila Visvanatha Cakravarti Thakura - Raga Vartma Candrika 2.7)

“Quando alguém SENTE UM LEVE SENTIMENTO  pelos doces humores de Krsna e Seus devotos ao ouvir suas descrições em textos que descrevem o objectivo espiritual supremo, como o Srimad Bhagavatam, (o Sadhaka) não aguarda mais pelas injunções das escrituras ou por razões lógicas para fazê-lo, mas SIMPLESMENTE ACEITA (o caminho devocional de Raganuga). Esta é a característica de Lobha.”

(Sri Jiva Gosvami Tika - Bhakti Rasamrita Sindhu 1.2.292)

"Se não se chegar à plataforma de serviço espontâneo (Raganuga Bhakti) NO INÍCIO, deve-se adoptar serviço regulado." 

(Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - CC Madhya 22-109) 

Mais claro, impossível !!!

Lobha revisited !!!

The practitioner is eligible to start the path of Raganuga if he/she has Lobha.

Lobha awakens at the outset for those with the good fortune to associate from the beginning with elevated Rasika Vaisnavas, fixed on Vraja Rasa (which causes the practitioner to remain fixed and focused at the very beginning), or a little later on Nisthita Bhajana Kriya (Nistha) to others without this association.

“It is described that the DEVOTEES ON THE PATH OF RAGA GRADUALLY PROGRESS  from the INITIAL SURRENDER TO THE FEET OF SRI GURU UP TO THE FINAL STAGE of directly attaining the object of their desires. "When the eye is smeared with medicinal ointment, its ability of perception becomes more and more refined, and accordingly it is able to perceive more and more subtle objects; similarly, according to the degree of the mind’s having become purified by hearing and chanting of My purifying pastimes, all the subtle truths of reality become manifest in the heart of the Sadhaka." From these words of the Lord it is known that THROUGH Raganuga-sadhana-bhakti the consciousness of the Sadhaka becomes MORE PURIFIED EVERY DAY, and he gradually becomes more and more greedy.”

(Srila Visvanatha Cakravarti Thakura - Raga Vartma Candrika 1.8)

“Those who are anxious (have Lobha) to attain the mood of the eternal Ragatmika Vrajavasis, ARE ELIGIBLE to enter into Raganuga Bhakti.”

(Srila Visvanatha Cakravarti Thakura - Raga Vartma Candrika 2.7)

“When one HAS GOT EVEN A SLIGHT FEELING for the sweet moods of Krsna and His devotees through hearing their descriptions in texts describing the ultimate spiritual goal, such as the Srimad Bhagavatam, (the Sadhaka) no longer waits for the injunctions of scripture or for logical reasons to do so, but SIMPLY TAKES UP (the Raganuga devotional path). This is the characteristic of Lobha.”

(Sri Jiva Gosvami Tika - Bhakti Rasamrita Sindhu 1.2.292) 

"If one does not come to the platform of spontaneous service (Raganuga Bhakti) IN THE BEGINNING, he must adopt regulative service." 

(Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - CC Madhya 22-109)

More evident, impossible !!!

Apego ao Dhama

Para aqueles que não têm a associação inicial com Rasika Vaisnavas elevados, o apego ao Dhama pode dar-se assim:

Em Bhajana-kriya, o Sadhaka irá explorar ou querer visitar diferentes Dhamas.

Ainda terá algum  interesse por isto em Anartha-nivrttih.

Em Nistha, como o surgimento de Lobha, o Sadhaka vai parar de explorar ou querer visitar diferentes Dhamas e concentrar-se em Vrndavana. 

Em Ruci o Sadhaka vai desenvolver um amor especial unicamente por Vraja.

Radhe !!! Radhe !!! Radhe !!!

For those who do not have the initial association with elevated Rasika Vaisnavas, the attachment to the Dhama can be given:

In Bhajana-kriya, Sadhaka will explore or want to visit different Dhamas.

The Sadhaka will still have some interest in this in Anartha-nivrttih.

In Nistha, with the appearance of Lobha, the Sadhaka will stop exploring or want to visit different Dhamas and concentrate on Vrndavana.

In Ruci the Sadhaka will develop a special love solely by Vraja.

Radhe !!! Radhe !!! Radhe !!!

Olhos dilatados

No Utkala-khanda do Skanda Purana descreve-se o passatempo de Krsna ao experimentar o êxtase intenso da separação de Vrndavana. 

Isto fez com que surgisse Sua forma de Jagannatha com grandes olhos dilatados e membros encolhidos devido ao êxtase (o mesmo com Baladeva e Subhadra). 

Esta forma é conhecida como Sua Mahabhava-prakasa. Mahabhava significa “o êxtase mais elevado”, e Prakasa significa “manifestação”, então Jagannatha é literalmente a forma extática de Krsna ao lembrar-se de Vrndavana.

In the Utkala-khanda of the Skanda Purana is described the pastime of Krsna when experiencing the intense ecstasy of the separation of Vrndavana.

This gave rise to His form of Jagannatha with large dilated eyes and limbs shrunk due to ecstasy (the same with Baladeva and Subhadra).

This form is known as His Mahabhava-prakasa. Mahabhava means "the highest ecstasy" and Prakasa means "manifestation", so Jagannatha is literally the ecstatic form of Krsna in remembrance of Vrndavana.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Então a vida é bem sucedida.


Śrīla Prabhupāda - Palestra SB 3.26.35-36 - Bombay, 12 de janeiro de 1975:

"Não fique preso em um sistema. O sistema é necessário desde que você avance para a realização do Supremo. Mas se você simplesmente seguir um sistema, mas não avançar na questão de realizar o Supremo, então, de acordo com o Śrīmad-Bhāgavatam ou de acordo com a versão Védica, é simplesmente trabalho sentimental. Não tem valor."

Então, aqui Śrīla Prabhupāda está a explicar que não devemos ficar estagnados numa deteminada etapa de algum sistema. É preciso avançar de Vaidhī-bhakti para Rāgānugā-bhakti.

Então, ele continua:

"Sem Vaidhī-bhakti você não pode alcançar a plataforma de Rāga-bhakti, embora este seja o nosso objectivo. Rāgānugā, Rāga-bhakti é executado seguindo as pegadas dos devotos em Vṛndāvana. Isso é chamado Rāga-bhakti."

Então, aqui Śrīla Prabhupāda está a explicar que o processo é gradual. Gradual significa que o  Sādhaka deve passar de uma fase para outra. Isto significa gradual. Gradual significa que existe movimento para frente. 

Aqui Śrīla Prabhupāda também está a explicar que Rāgānugā-bhakti não é somente servir a missão de Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu com o corpo externo (Sādhaka-rūpa) de uma forma espontânea. Isto é só uma metade. 

A outra metade é que Śrīla Prabhupāda sempre explica  Rāgānugā-bhakti como sendo seguir internamente as pegadas dos devotos em Vṛndāvana em uma Rasa específica. 

Nós não cantamos somente o Mahā-mantra do Pañca-tattva, também cantamos o Mahā-mantra Hare Kṛṣṇa. 

Nós não adoramos somente a Deidade de Śrī Caitanya Mahāprabhu, também adoramos as Deidades de Rādhā Kṛṣṇa. 

Da mesma forma, um Sādhaka seguidor de Śrīla Prabhupāda, não se absorve somente em Gaura-līlā, mas também se absorve em Kṛṣṇa-līlā.

E portanto, este conceito erradíssimo de que: "Simplesmente se ocupe em Gaura-līlā e não se ocupe em cultivar sua relação em Kṛṣṇa-līlā", é exatamente isso, erradíssimo !!!

E erradíssimo é o superlativo de errado. Aquilo que é errado ... muitas vezes.

Então, Śrīla Prabhupāda conclui:

"Assim, este movimento da consciência de Kṛṣṇa está gradualmente se desenvolvendo até o estágio de Rāga-bhakti ou Parā-bhakti. Então a vida é bem sucedida."

Caso contrário, não é bem sucedida !!!

Śrīla Prabhupāda - Lecture on SB 3.26.35-36 -- Bombay, January 12, 1975: 

"Don't be stuck up in a system. The system is required provided if you make progress towards the realization of the Supreme. But if you simply follow a system but do not make advance in the matter of realizing the Supreme, then, according to Śrīmad-Bhāgavatam or according to the Vedic version, it is simply labor of love. It has no value."

So here Śrīla Prabhupāda is explaining that we should not be stagnant in a certain stage of some system. It is necessary to move from Vaidhī-bhakti to Rāgānugā-bhakti.

Then he continues:

"Without Vaidhī-bhakti you cannot reach to the platform of Rāga-bhakti, although that is our aim. Rāgānugā, Rāga-bhakti is executed following the footprints of the devotees in Vṛndāvana. That is called Rāga-bhakti."

So here Śrīla Prabhupāda is explaining that the process is gradual. Gradual means that the Sādhaka must pass from one phase to another. This means gradual. Gradual means there is movement forward.

Here Śrīla Prabhupāda is also explaining that Rāgānugā-bhakti is not only to serve the mission of Śrī Kṛṣṇa Caitanya Mahāprabhu with the external body (Sādhaka-rūpa) in a spontaneous way. This is only a half.

The other half is that Śrīla Prabhupāda always explains Rāgānugā-bhakti as being internally following the footsteps of devotees in Vṛndāvana in a specific Rasa.

We do not sing only the Pañca-tattva Mahā-mantra, we also sing the Hare Kṛṣṇa Mahā-mantra.

We do not worship only the Deity of Śrī Caitanya Mahāprabhu, we also worship the Deities of Rādhā Kṛṣṇa.

Likewise, a Sādhaka, a follower of Śrīla Prabhupāda, is not absorbed only in Gaura-līlā, but is also absorbed in Kṛṣṇa-līlā.

And therefore, this dead wrong concept that: "Simply occupy yourself in Gaura-līlā and do not engage in cultivating your relationship in Kṛṣṇa-līlā," is exactly what it is, dead wrong !!!

And dead wrong means wrong ... many times.

Then, Śrīla Prabhupāda concludes:

"So this Kṛṣṇa consciousness movement is gradually developing up to the stage of Rāga-bhakti or Parā-bhakti. Then life is successful."

Otherwise, it is not successful !!!

Respeitar todos os Vaiṣṇavas

Link:

Respeitar todos os Vaiṣṇavas

Prema-rūpa


prema-rūpāyai dhīmahi

Meditemos (dhīmahi) nEla (Rādhā), que é a forma (rūpa) de amor à Kṛṣṇa (prema).

prema-rūpāyai dhīmahi

Let us meditate (dhīmahi) on Her (Rādhā), which is the form (rūpa) of love for Kṛṣṇa (prema).

terça-feira, 1 de maio de 2018

De brinde !!!

Se for o caso de um praticante estar fixo por exemplo em Sakhya, com sua Rasa cristalizada em Sakhya. Ok. É provável que isto já tenha começado de outras vidas. Nenhum problema.

De um modo geral, a Rasa não está fixa e cristalizada (Sthayi) e assim a maioria daqueles que se aproximam do Vaisnavismo Gaudiya irão inclinar-se para Madhurya devido a forte influência deste humor.

Mas se o praticante estiver atraído por exemplo por Sakhya (ou outra Rasa qualquer). Ok. Cultiva isto até chegar em Prema e recebe um Svarupa de amigo (Sakha). Óptimo !!! Tenta encontrar associação neste humor dentro do Vaisnavismo Gaudiya. Embora seja muito raro por ser uma excepção. Mas está tudo bem. Cultiva isto !!!

MAS, por que tal praticante também é um devoto de Sri Caitanya e absorve-se profundamente nos passatempos internos de Sri Caitanya, também receberá um Svarupa de Manjari. 

De brinde !!!  

Porquê?

Por que os passatempos de Sri Caitanya Mahaprabhu são como Krsna exclusivamente no humor conjugal de Radha.

Múltiplos Svarupas - Svarupa-vyuha:

"Aqueles ocupados no serviço a Nityananda Prabhu e Advaita Acarya geralmente tem relacionamentos em amor paternal, fraternal, de servidão e neutralidade.
Quando tais devotos desenvolvem um grande apego a Sri Caitanya Mahaprabhu, eles também situam-se dentro do círculo íntimo de devotos em amor conjugal." 

(Srila Bhaktisidhanta Sarasvati Anubhasya CC Adi 7-17)

"Outros devotos puros, que estão mais ou menos ligados a Sri Nityananda Prabhu e Advaita Prabhu, são atraídos por outros relacionamentos transcendentais, como o afecto paternal, a amizade e a servidão. Quando tais devotos estão muito ligados às actividades do Senhor Caitanya, eles imediatamente tornam-se devotos confidenciais em amor conjugal com o Senhor Supremo." 

(Srila Prabhupada - Ensinamentos do Senhor Caitanya 17)

"Para apreciar muitas Lilas (e muitas formas diferentes de Rasa), Krsna exibe muitas formas Prakasa, cada uma com uma mentalidade separada. Além disso, cada forma Prakasa (em sua própria Lila Prakasa) não tem a menor idéia do que todas as Suas outras formas Prakasa estão a fazer. 

Da mesma forma, como os Nitya Parikaras de Krsna são Seu Cid-sakti, eles também manifestam muitas formas Prakasa, cada uma com uma mentalidade separada. 

Assim, como as várias formas Prakasa de um Bhakta servem nas várias Lilas Prakasa de Krsna, nenhuma destas formas Prakasa sabe o que todas as outras estão a fazer !!!" 

(Sri Jiva Gosvami -  Krsna Sandarbha – Anuccheda 156.8)

If it is the case for a practitioner to be fixed for example in Sakhya, with the Rasa crystallized in Sakhya. Okay. It's probably already started from other lives. No problem.

In general, the Rasa is not fixed and crystallized (Sthayi) and so, most of those who approach Gaudiya Vaisnavism will lean towards Madhurya due to the strong influence of this mood.

But if the practitioner is attracted for example by Sakhya (or some other Rasa). Okay. He cultivates this until reach Prema and receive a friend Svarupa (Sakha). Great !!! Try to find association in this mood within Gaudiya Vaisnavism. Although it is very rare for being an exception. But its alright. Cultivate this !!!

BUT, because such a practitioner is also a devotee of Sri Caitanya and absorbed deeply in the inner pastimes of Sri Caitanya, he will also receive a Manjari Svarupa.

 It's a freebie !!!

Why?

Because the pastimes of Sri Caitanya Mahaprabhu are  Krsna exclusively in the conjugal mood of Radha.

Multiple Svarupas - Svarupa-vyuha:

"Those who engage in the service of Lord Nityananda Prabhu and Lord Advaita Prabhu generally have relationships of parental love, fraternity, servitude and neutrality. When such devotees develop great attachment for Sri Caitanya Mahaprabhu, they too become situated within the intimate circle of devotees in conjugal love.”

(Srila Bhaktisidhanta Sarasvati Anubhasya CC Adi 7-17)

"Other pure devotees, who are more or less attached to Sri Nityananda Prabhu and Advaita Prabhu, are attracted by other transcendental relationships, such as parental affection, friendship and servitorship. When such devotees are very much attached to the activities of Lord Caitanya, they at once become confidential devotees in conjugal love with the Supreme Lord."

(Srila Prabhupada - Teachings of Lord Caitanya 17)

"In order to relish many Lilas ( and many different forms of Rasa ) Krsna displays many Prakasa forms, each having a separate mentality. Moreover, each Prakasa form (in its own Lila Prakasa ) hasn’t a clue about what all of His other Prakasa forms are doing. 

Yet similarly, because Krsna’s Nitya Parikaras are His Cid-sakti, they also manifest many Prakasa forms, each having a separate mentality. So as a Bhakta’s various Prakasa forms serve in Krsna’s various Lila Prakasa, none of those Prakasa forms know about what all of the others are doing either !!!"

(Sri Jiva Gosvami -  Krsna Sandarbha – Anuccheda 156.8)

domingo, 29 de abril de 2018

Diferentes estágios de lembrança

A relação entre o Sri Siksastaka e Raganuga Sadhana Bhakti é dada por Srila Bhaktivinoda Thakura no Sri Bhajana Rahasya.

No quinto verso do Sri Siksastaka, que representa Asakti, o praticante aceita o Siddha Deha de forma concentrada, ou em outras palavras, sua meditação é ininterrupta.

Em fases anteriores, a meditação do praticante no seu Siddha Deha não é constante nem regular.

Srila Bhaktivinoda Thakura explica cinco etapas especificamente em conjunto com a meditação no Siddha-deha, em suas notas 15-93 no Harinama-cintamani:

1 - A lembrança simples, Smarana, é o estágio em que o praticante recorda sua identidade espiritual (Siddha Deha) e seus onze aspectos (Ekadasa Bhava) em relação ao serviço nos passatempos circadianos (Asta-kaliya-lila) do Casal Divino. Neste ponto, ainda não há constância na meditação,  às vezes lembra-se, e outras vezes distrai-se.

2 - À medida que progride, chega-se ao estágio de auto-lembrança, Dharana, no qual se tenta ganhar firmeza na lembrança.

3 - Quando nos concentramos em todos os aspectos do objecto de meditação, isso é chamado Dhyana ou meditação.

4 - Quando se medita a cada momento, o estado é chamado “recordação constante” ou Anusmrti.

5 - Quando a meditação é perfeita e ininterrupta, e a pessoa pensa apenas nos passatempos do Senhor Krsna e em nada mais, este estado é chamado Samadhi.

HC 15,93

No Madhurya-kadambini, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura descreve a natureza evolutiva de Smarana, em conjunto com os estágios progressivos de Bhakti:

1 - No estágio de Bhajana-kriya, a meditação no Senhor é momentânea, com um toque de tópicos materiais.

2 - No estágio da meditação Nistha, há um rastro de outros tópicos.

3 - No estágio de Ruci, outros tópicos estão ausentes e a meditação é duradoura.

4 - No estágio de Asakti, a meditação se torna muito profunda.

5 - Durante Bhava, a meditação é marcada com o Senhor.

6 - No estágio de Prema, em contraste com simplesmente ver o Senhor, há associação directa com o Senhor.

MK 8,12

Jiva Gosvami explica que há cinco etapas na evolução da lembrança:

1 - Pensar no Senhor de qualquer maneira e em qualquer extensão é conhecido como Smarana ou lembrança.

2 - Retirar a mente de todos os objectos externos e fixá-la de maneira geral no Senhor é chamado Dharana, ou concentração.

3 - Contemplar especificamente o nome do Senhor, a forma e outros atributos é chamado Dhyana ou meditação.

4 - Quando a lembrança prossegue sem interrupção como um fluxo contínuo de néctar, ela é chamada de Dhruvanusmrti, ou lembrança constante.

5 - Quando o objecto de sua meditação é manifesto, sem a consciência do próprio eu (físico), é chamado Samadhi, ou transe.

BS Anuccheda 278

"De acordo com o quinto Sloka do Siksastaka (Asakti), deve-se aceitar seu corpo espiritual (Siddha-deha). Depois de aceitar o Siddha-deha deve-se começar Bhajana sob o abrigo dos pés de lótus de Srimati Radharani e gradualmente progredir.

Bhajana realizado de acordo com o sexto Sloka do Siksastaka (Bhava) indica que quase todos os Anarthas desapareceram e, portanto, há o necessário Adhikara (qualificação) para atingir Siddha-deha." 

(Sri Bhajana Rahasya 1)

Existem, de acordo com Srila Bhaktivinoda Thakura, 3 corpos Siddha:

1 - Siddha-deha almejado nas fases de Nistha (Nisthita Bhajana Kriya) e Ruci.

2 - Svarupa Siddhi (realização do Siddha-deha) em Asakti e Bhava.

3 - Vastu Siddhi (concretização do Siddha-deha) em Prema.

Anartha-nivritti não é nosso Prayojana

"Não deveríamos cometer o erro de pensar que Anartha-nivritti é nosso Prayojana (meta final). Alguém que pensa assim nunca poderá acessar Artha-pravritti, e por esta razão, eu começarei a falar sobre Asta-kaliya-lila."

Comentário: Crystal clear !!! Muito claro.

"Depois do plano de Anartha-nivritti vem o plano de Artha-pravritti, o serviço conjugal para Radha e Krsna. Esta é a realidade transcendental. Se não sabemos sobre esta morada transcendental, então todos os nossos esforços podem terminar em Nirvisesa-vada (vácuo devocional)."

Comentário: Porque "todos os nossos esforços podem terminar em Nirvisesa-vada" se não especificamos nossa relação com Radha e Krsna? Ora, muito simples. Porque Bhakti Yoga significa ter uma "relação pessoal" com Radha e Krsna. E não uma coisa incerta ou simplesmente saber de uma forma geral que se é um servo de Deus. 

"Não deixem seus dias passar simplesmente procurando por Anartha-nivritti. Artha-pravritti também é necessário."

Comentário: Os dias estão a passar, estão a passar ... e já estou cheio ... de rugas !!!

"Anartha-nivritti é necessário até que Artha-pravritti tenha começado. Quando Artha-pravritti está presente, então Anartha-nivritti deixa de ser importante. Artha-pravritti se torna proeminente."

Comentário: Muito importante. Srila Bhaktisiddhanta explica aqui que quando o ímpeto de aprofundar a relação com Radha e Krsna começa, os Anarthas não terminam, ficam somente em segundo plano. Os Anarthas acompanham o praticante até a fase avançada de Bhava.

"Aqueles que cantaram Harinama por quinze ou vinte anos devem saber destas coisas."

Comentário: De facto, Srila Bhaktisiddhanta orientou seus discípulos maduros no momento oportuno e ajudou-os a refinar sua meditação interna bem como os elementos do seu corpo interno Siddha-svarupa / Siddha-deha. Esta é uma das principais funções de um Guru.

(Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati, aula no Radha Kunda, 1932) 

Isto aplica-se a outras Rasas?

Sim, porém devemos salientar que no Vaisnavismo Gaudiya existe a predominância de Madhurya Rasa. 

Porquê? 

Porque o próprio Sri Caitanya Mahaprabhu é Krsna exclusivamente com o humor conjugal de Radha e todos os Gosvamis estão no humor de Manjaris.

E o que determina qual Rasa um praticante irá adoptar é essencialmente a associação recebida.

Assim temos que a influência de Madhurya Manjari Bhava no Gaudiya Vaisnavismo é muito forte, contundente, incisiva, vigorosa e poderosa.

Exemplos: Temos o caso de Murari Gupta e Anupama, o irmão de Sri Rupa e Sri Sanatana. 

Ambos, Murari e Anupama eram devotos de Sri Rama, e mesmo com a associação pessoal de Sri Caitanya não mudaram de Rasa. Porquê? Porque estavam fixos (Sthayi -fixo) e eram devotos perfeitos de Rama. 

No entanto, o Brahmana do sul da Índia mudou de Rasa por ter a associação de Sri Caitanya, devido a que sua Rasa não estava cristalizada.

Dois cenários

Existem aqueles que querem "empurrar" o começo de Raganuga Sadhana para a fase de Asakti, mas isto não tem nenhum sentido porque em Nisthita Bhajana Kriya (Nistha), o Sadhaka já terá uns 50% de desejos espirituais. Já é uma etapa "fértil" para Lobha surgir. Lobhamayi sraddha. O que ocorre em Asakti é um aprofundamento e intensificação da prática.

Ainda outros, querem "empurrar" o começo de Raganuga Sadhana para a fase de Bhava, mas isto é um absurdo, porque Raganuga é Sadhana Bhakti e não Bhava Bhakti. 

Então, quando isto começa?  

Existem dois cenários possíveis.

1 -  Neste primeiro cenário Vaidhi e Raganuga são ambos Sadhanas. Tanto num como no outro, o praticante percorre todas as etapas de Bhakti, desde Sadhu Sanga até Prema.

Neste cenário, o praticante não começa com Vaidhi e depois passa a Raganuga. É Raganuga desde o início. 

atha rāgānugā bhakti-majjanasyānartha nivṛtti niṣṭhā-rucy-āsakty-antaraṁ prema bhūmikārūḍhasya sākṣāt svābhīṣṭaprāpti-prakāraḥ pradarśyate  

"Agora será descrito como um devoto Rāgānuga gradualmente avança através dos estágios devocionais de Anartha-nivṛtti (eliminação dos impedimentos), Niṣṭhā (fixo), Ruci (gosto), Āsakti (apego à Deidade amada), até o estágio de Prema (amor à Deus) e a realização directa da Deidade amada."

(Rāga-vartma-candrikā 2.7)

Este primeiro cenário ocorre quando alguém com muito boa fortuna associa-se desde o ínicio com Rasika Vaisnavas elevados fixos numa determinada Rasa. Desde o início. Ou seja, o praticante é introduzido na Consciência de Krsna por tais Rasika Vaisnavas elevados fixos numa determinada Rasa, onde todos os membros do Parampara pertencem a esta determinada Rasa sem excepção. 

Esta associação é tão influente e poderosa que o praticante desenvolve uma atracção (Lobha) por seguir tal caminho de Vraja (Ragamarga) nesta mesma Rasa já na etapa de Sadhu Sanga e Bhajana Kriya.

E Lobha, ou desejo espiritual de seguir o humor de Vraja numa determinada Rasa é o ponto de partida inicial para Raganuga Sadhana Bhakti. Lobhamayi sraddha.

Tal Lobha é desencadeada por absorver-se em cantar Hare Krsna, ouvir os passatempos de Vraja e especialmente por ter a associação de Vaisnavas fixos no humor de Vraja numa determinada Rasa. 

2 - Neste segundo cenário começa com Vaidhi e depois passa a Raganuga.

"Se não se chegar à plataforma de serviço espontâneo (Raganuga Bhakti) no início, deve-se adoptar serviço regulado." (Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - Cc Madhya 22-109) 

Porquê?

Porque como o praticante não tem a associação de devotos fixos em Vraja numa Rasa específica, sua Lobha,  ou desejo espiritual de seguir o humor de Vraja numa determinada Rasa, irá despertar um pouco depois em Nisthita Bhajana Kriya (Nistha).

Ambos cenários estão de acordo com o Sri Upadesamrta.

There are those who want to "push" the beginning of Raganuga Sadhana to the Asakti phase, but this makes no sense because in Nisthita Bhajana Kriya (Nistha), the Sadhaka will already have about 50% spiritual desires. It is already a "fertile" phase for Lobha to emerge. Lobhamayi sraddha. What happens in Asakti is a deepening and intensification of practice.

Still others, want to "push" the beginning of Raganuga Sadhana to the Bhava stage, but this is absurd, because Raganuga is Sadhana Bhakti and not Bhava Bhakti.

So, when does this start?

There are two possible scenarios.

1 - In the first scenario Vaidhi and Raganuga are both Sadhanas. Both in one and the other, the practitioner travels through all stages of Bhakti, from Sadhu Sanga to Prema.

In this scenario, the practitioner does not start with Vaidhi and then passes to Raganuga. It's Raganuga from the start.

atha rāgānugā bhakti-majjanasyānartha nivṛtti niṣṭhā-rucy-āsakty-antaraṁ prema bhūmikārūḍhasya sākṣāt svābhīṣṭaprāpti-prakāraḥ pradarśyate

"It will now be described how a Rāgānuga devotee gradually advances through the devotional stages of Anartha-nivṛtti (elimination of impediments), Niṣṭhā (fixed), Ruci (taste), Āsakti (attachment to the beloved Deity), to the stage of Prema (love of God) and the direct realization of the beloved Deity."

(Rāga-vartma-candrikā 2.7)

This first scenario occurs when one with very good fortune associates from the beginning with elevated Rasika Vaisnavas fixed in a certain Rasa. From the beginning. That is, the practitioner is introduced into the Krsna Consciousness by such elevated Rasika Vaisnavas fixed in a certain Rasa, where all the members of Parampara belong to this particular Rasa without exception.

This association is so influential and powerful that the practitioner develops an attraction (Lobha) for following such a path of Vraja (Ragamarga) in this same Rasa already in the stage of Sadhu Sanga and Bhajana Kriya.

And Lobha, or spiritual desire to follow the mood of Vraja in a specific Rasa is the starting point for Raganuga Sadhana Bhakti. Lobhamayi sraddha.

Such a Lobha is triggered by chanting Hare Krsna, listening to the pastimes of Vraja, and especially by having the association of Vaisnavas fixed in Vraja's mood in a certain Rasa.

2 - This second scenario begins with Vaidhi and then passes to Raganuga.

"If one does not come to the platform of spontaneous service (Raganuga Bhakti) in the beginning, he must adopt regulative service" (Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - Cc Madhya 22-109)

Why?

Because as the practitioner does not have the association of fixed devotees in Vraja in a specific Rasa, his Lobha, or spiritual desire to follow the mood of Vraja in a particular Rasa, will awaken a little later in Nisthita Bhajana Kriya (Nistha).

Both scenarios are according to Sri Upadesamrta.