terça-feira, 7 de junho de 2016

A Natureza da Alma é ser Activa !!! - Vedanta Sutra


A Natureza da Alma é ser Activa !!!
Vedanta Sutra
Capítulo 2 Pada 3 Adhikarana 15
A Natureza da Alma é ser Activa
Introdução pelo Vedanta Acarya Srila Baladeva Vidyabhusana
Com as seguintes palavras o autor (Vyasadeva) dos Sutras dá um exemplo para mostrar que a alma espiritual individual executa acções. Ou usando a sua própria potência, ou algum outro instrumento para realizá-las (as acções).
Sutra 38
yatha ca taksobhayatha 
yatha - como; ca - e; taksa - carpinteiro; ubhayatha - em ambos os sentidos
"Em ambos os sentidos, como um carpinteiro."
Significado pelo Vedanta Acarya Srila Baladeva Vidyabhusana
Como um carpinteiro executa acções, empregando tanto o seu próprio poder bem como os de uma série de ferramentas, o mesmo acontece com a alma espiritual individual, empregando tanto o seu próprio poder como o dos vários ares da vida. 
Assim, a alma emprega o corpo material e outros instrumentos para executar acções. É a alma espiritual pura que usa os modos da natureza material para executar acções. É por isso que as escrituras às vezes dizem que os modos da natureza material são os executores das acções.
Que a alma espiritual individual é de facto a executora das acções é confirmado na Bhagavad-gita (13.22), onde é dito:
karanam guna-sango 'sya
sad-asad-yoni-janmasu
"Assim, a entidade viva na natureza material segue os modos de vida, desfrutando dos três modos da natureza. Desta forma, ela se encontra com o bem e o mal entre as várias espécies de vida."
Estas palavras explicam as passagens das escrituras que declaram que os modos da natureza são os executores da acção. É tolice uma pessoa pensar que é a única executora da acção e ignorar os cinco factores da acção. 
Claro que não é correcto considerar que a alma espiritual individual nunca realiza nenhuma acção. A ideia de que a alma nunca faz nada é claramente refutada por muitas declarações escriturais incitando a alma a agir de tal forma que ela possa alcançar a liberação. 
Quando na Bhagavad-gita (2.19) o Senhor diz:
nayam hanti na hanyate
"A alma não mata nem é morta."
Isto não significa que a alma espiritual individual nunca realiza qualquer acção, mas quer dizer que a alma espiritual eterna nunca pode ser cortada ou morta. Assim, o significado da declaração de que a alma nunca age já foi explicado.
Tanto nesta vida como em outras os devotos realizam várias acções de serviço devocional ao Senhor. 
Porque estas ações estão livres do toque dos modos da natureza material, porque estão sob a jurisdição da potência espiritual do Senhor e porque levam a liberação, estas acções não são acção, pois não são acções materiais. Isto é explicado pelo Senhor Supremo Ele mesmo nestas palavras:
sattvikah karako 'sangi
ragandho rajasah smrtah
tamasah smrti-vibhrasto
nirguno mad-apasrayah
"Aquele que age sem apego está no modo da bondade. Aquele que está cego pelo desejo está no modo da paixão. Aquele cuja inteligência está fraturada está no modo da ignorância. Aquele que se refugia em Mim está livre das garras dos modos da natureza."
Que a alma espiritual pura experimenta os resultados de suas acções é descrito na Bhagavad-gita (13.21):
purusah-sukha-duhkhanam
bhoktrtve hetur ucyate
"A entidade viva é a causa dos vários sofrimentos e prazeres neste mundo."
Porque por natureza a alma é consciente, é a alma que experimenta os resultados das acções. Os modos da natureza não experimentam estes resultados. 
Isto refuta a ideia de que o modos estão activos e a alma não. 
Desta forma, fica provado que é a alma consciente que experimenta a felicidade e outras sensações. 
Desta forma, a alma espiritual traz conhecimento para si mesma e outros. 
Existem dois tipos de acção para a alma. Na Prasna Upanishad (4.9) é dito:
esa hi drasta sprasta srota
"É a alma que vê, toca, e ouve."
Assim, com este exemplo do carpinteiro, a ideia de que a alma espiritual individual é o único factor na acção, e que não há outros, é claramente refutada."