domingo, 13 de março de 2016

Upanisads são Monoteístas e não Monistas

Foto: Sri 1008 Sri Satyatma Tirtha Swami da Uttaradi Matha, dedicado a Dvaita Vedanta.

Do Dvaita.org

"Tema central das Upanisads
Sri Sankaracarya e alguns de seus seguidores modernos tomam o Monismo ou Atmaikya e Absolutismo ou Nirguna-brahmavada como sendo o tema central das Upanisads. Consequentemente, o idealismo ou o mundo seriam apenas uma projeção, irreal, assim considerado também isto como sendo um princípio das Upanisads. 

Assim Upasana (adoração) e Bhakti (devoção) são relegados a uma posição secundária, sendo necessário somente até um ponto na evolução espiritual da alma. Liberação, o objectivo final do desenvolvimento espiritual torna-se menos atraente, devido a que o candidato perde a sua identidade em sua fusão com o Absoluto. 

Todo o processo de criação delineado com  grande cuidado nas Upanisads é reduzida a uma mera ilusão. 

Textos descrevendo Brahman, o Ser Supremo, como Sarvajna (onisciente), Sarva-shaktiman (todo-poderoso) também são relegados como descrições de Isvara ou o Saguna Brahman, o qual é também um produto da Avidya universal, enquanto Brahman é realmente Nirguna ou sem quaisquer atributos na realidade absoluta. 

Parte do material mais rico das Upanisads delineam a glória de Deus, o processo de criação, a prescrição de diferentes métodos de Upasana (adoração), escatologia, recomendando a meditação, devoção etc, são todos relegados a uma posição secundária, devido a que eles essencialmente lidam com as maquinações da Avidya irreal, que desaparece no "nada", quando a alma é liberada e descobre sua identidade com o Brahman sem forma e sem atributos. 

Em outras palavras, com esta interpretação, a maioria das Upanisads são inúteis e falsas no domínio da realidade final. 

Por outro lado, algumas passagens são elevadas a importância decisiva, uma vez que podem ser interpretadas, num sentido limitado, para transmitir o Monismo. 

Qualquer pessoa que tenha uma familiaridade com a atmosfera profunda e mística evocada pelas Upanisads não pode aceitar esta posição. 

O tema central das Upanishads não é o Monismo, mas o Monoteísmo, o conceito de um ser supremo imanente e onipresente. 

Ele não é Nirguna (sem atributos), mas é Gunaparipurna - completo de todos os possíveis qualidades auspiciosas. 

A própria palavra Brahma indica esta delimitação básica do Senhor Supremo. Tal tema traz todo o resto das passagens nas Upanisads para o foco correcto e torna-as plenamente significativas e essenciais para o aspirante. 

Todas elas irão contribuir, de uma forma ou de outra para o desenvolvimento do tema central e nenhum será olhado como secundário ou supérfluo. 

O contexto mais amplo do Vedanta, como um todo, os Vedas, Brahmanas, Aranyakas, Upanisads e os grandes épicos que incluem os outros textos Prasthana - Bhagavad Gita e o Vedanta Sutra é tecido em uma tapeçaria gloriosa da indescritível mas realizável, insondável mas compreensível glória da Pessoa Suprema, que é exaltada pelos grandes devotos em todas as composições de Bhakti. 

O conceito artificial criado pelo Monismo de dois Brahmans, Saguna e Nirguna existindo simultaneamente, embora totalmente diferente em essência, para explicar a riqueza dos textos que descrevem a glória do Senhor é rejeitado com facilidade com uma simples explicação de Nirguna sendo Aquele que totalmente transcende os três Gunas - Sattva, Rajas e Tamas constituindo Prakrti, que é responsável pelo mundo como nós o conhecemos."

O Senhor Caitanya aceitou dois elementos da Madhva Sampradaya:

1) rejeição da filosofia Advaita (kevale-advaita-nirasana)
2) adoração a Krsna (krsna-murti-sevana)

Análise das Upanisads como um todo:

http://www.dvaita.org/shaastra/upanishad.html