segunda-feira, 18 de julho de 2016

"Sphurti nos estágios iniciais"

Foto: Banhoca de Govardhana Sila.

"Sphurti nos estágios iniciais"

1 - Quem está apto para Raganuga Sadhana Bhakti?

"O pré-requisito básico para a prática de Raganuga Bhakti é simplesmente um desejo genuíno (Lobha) por um modo de devoção semelhante ao de um dos residentes eternos de Vraja." 
(BRS 1.2.291)
"Em Raganuga Sadhana Bhakti, deve-se contemplar a forma específica de Krsna a qual o devoto sinta mais atracção, e o associado eterno específico cujos sentimentos o devoto mais deseje, ouvindo com carinho os passatempos. Ao fazer estas duas coisas, o devoto sempre vai morar em Vraja." 
(BRS 1.2.294)

2 - Em que fase desperta Lobha?

Em qualquer fase, especialmente em Bhajana Kriya (que é quando se ouve do Guru e Sadhus acerca das glórias do nome, forma, qualidades, associados e seus serviços e passatempos do Senhor como descritos no Srimad Bhagavatam) 

3 - "Vrajanatha: Quais são os sintomas de tal Lobha?
Babaji: Quando se ouve sobre os Bhavas intensamente doces dos Vrajavasis, a inteligência (buddhi-apeksa) começa a considerar como se pode entrar nestes relacionamentos amorosos. Este desejo (apeksa) é o sintoma que Lobha despertou. 

Tudo o que é necessário é a avidez pelos sentimentos dos Vrajavasis: "Quais são os Bhavas doces dos Vrajavasis direcionados a Krsna? É possível para mim obter tais Bhavas? Como isto pode ser obtido?" Este desejo intenso é o sintoma de avidez, e quem não tem tal avidez, não tem o Adhikara para Raganuga-bhakti. Você deve entender isto." (Jaiva Dharma)

Tika de Sri Jiva Goswami do Bhakti Rasamrita Sindhu (1.2.292): 

tat-tad-bhavadi-madhurye sri-bhagavatadisu siddha-nirdesa-sastresu srute sravana-dvara yat kimcid anubhute sati yac chastram vidhi-vakyam napeksate | yuktim ca, kintu pravartata evety arthah | tad eva lobhotpatter laksanam iti 

"Quando se tem uma ligeira experiência dos doces humores de Krsna e Seus devotos por ouvir tais descrições em textos que descrevem o objectivo espiritual final, como o Bhagavatam, (o Sadhaka) já não espera por injunções das escrituras ou por razões lógicas para fazê-lo, mas simplesmente aceita o caminho devocional Raganuga. Esta é a característica de Lobha."

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura explica no seu Raga Vartma Candrika 1.5 como Lobha (avidez) se manifesta:
"Se, depois de ouvir a doçura dos sentimentos dos associados de Sri Krsna em Vraja Lila, conduzido por paixão amorosa, você pensa: "Que eu também possa atingir tais sentimentos."

Isto é Lobha. E Lobha é o marco inicial de Raganuga Sadhana Bhakti. 

4 - Qual a relação entre Lobha e a injunção dos Sastras?

"Quando Lobha aparece, ela não deve ser dependente da injunção dos Sastras e da razão. Se for assim, então ela não está completamente estabelecida (asiddhi)." (Raga-vartma-candrika 1.5)

Quando um devoto desperta esta Lobha sagrada (em qualquer fase mas especialmente Bhajana Kriya), isto é Lobha genuína. Não é Lobha teórica. Não é por injunção dos Sastras ou por imposição da lógica, ou seja, porque os Sastras advertem que Lobha é o marco inicial para iniciar o caminho de Raganuga, e que temos que fazer por esta obrigação dos Sastras. Não !!!

Alguém poderá erradamente argumentar assim: 
"Se você não tem experiência de como os associados, Gopas e Gopis, servem Sri Sri Radha Krsna, como você pode dizer que você realmente tem ambição por isto? Se você diz: "Eu li sobre isto no Sastra", então isto significa que sua avidez ainda não é independente do Sastra e da razão."
Mas este argumento é errado !!! 
É errado dizer que Lobha que desperta por ler e ouvir os passatempos é simplesmente teórica . É Lobha genuina. 

Será teórica e baseada nos Sastras e razão se o aspirante o faz por obrigação e imposição (porque todos estão a fazer, eu também tenho que fazer), e não por uma necessidade e anseio firmes por um relacionamento (Rasa) específico. 
Lobha genuina ocorre quando um devoto lê do Sastra e ouve do Guru e Sadhus. Quando se diz que Lobha é dependente do Sastra e razão, significa que um devoto tenta despertar Lobha por obrigação ou imposição do Sastra e não porque despertou um interesse forte e genuino. 

Não é que Lobha genuina só poderá se manifestar, quando o Sadhaka tiver um "Sphurti" dos Parikaras em Ruci. Não. O despertar de Lobha genuina poderá ocorrer em qualquer fase desde que haja uma necessidade e anseio firmes por um relacionamento (Rasa) específico. 

Em Bhajana Kriya e Anartha-nivrtti, ao ouvir os passatempos (como descritos no Srimad Bhagavatam) directamente do Guru e Sadhu, tal Lobha genuina desperta como uma necessidade e anseio por um relacionamento (Rasa) específico na mesma proporção em que há purificação. 

E devido a esta necessidade e anseio inadiáveis que constituem o surgimento de autêntica Lobha, se faz necessário a especificação do Ekadas Bhava, ou os 11 Bhavas do Siddha Deha.

Com o despertar desta Lobha, o devoto, em companhia do Guru (Diksa e ou Siksa) constrói e familiariza-se com os componentes de seu Ekadas Bhava. E almeja servir na Lila. Só almeja. Smarana nesta fase se resume a construir os compoentes do seu Siddha Deha. Nesta fase é simplesmente Smarana destes componentes. 

A medida que avança, Lobha genuina intensifica e a lembrança do Siddha Deha passa a ser Dharana em Nistha, Dhyana em Ruci, Anusmrti em Asakti e Samadhi em Bhava e Prema.
De salientar que embora Mantramayi Upasana ou Yoga Pitha Seva ocorra efectivamente em Asakti (quando a meditação é Anusmrti), em etapas anteriores o Sadhaka poderá e deverá familiarizar-se com o cenário da Lila em conjunto com seu Siddha Deha e de acordo com a sua capacidade de meditação (Smarana em Bhajana Kriya, Dharana em Nistha e Dhyana em Ruci).

5 - Em relação a Krama de Nama, Rupa, Guna, Parikara, Seva e Lila. 

Sphurti de Nama e Rupa em Nistha. 
Sphurti de Guna, Parikara e Seva em Ruci.
Sphurti de Lila (Mantramayi) em Asakti.
Sphurti de Lila (Svarasiki) em Bhava.

Convém salientar que quando se diz que, em fases iniciais, é necessário ter um Sphurti da anterior para seguir a posterior, Sphurti aqui indica simplesmente a manifestação de uma necessidade.

Por exemplo, aqui Sphurti de Rupa em Nistha não significa que a forma de Krsna aparece para o devoto em Nistha. Mas simplesmente que surge a necessidade de unir Nama com Rupa e assim sucessivamente.

Photo: Govardhana Sila's bathing.

"Sphurti in early stages."

1 - Who is fit for Raganuga Sadhana Bhakti?

"The basic prerequisite for the practice of Raganuga Bhakti is simply a genuine desire (Lobha) by a devotion similar to one of the eternal residents of Vraja."
(BRS 1.2.291)
"In Raganuga Sadhana Bhakti, the devotee should consider the specific form of Krsna which he feels more attraction, and the specific eternal associate whose feelings he wishes, listening the pastimes with care. By doing these two things, the devotee always will live in Vraja. "
(BRS 1.2.294)

2 - At what stage awakens Lobha?

At any stage, especially in Bhajana Kriya (which is when the devotee hears the Guru and Sadhus about the glories of the name, form, qualities, associates and their services and pastimes of the Lord as described in Srimad Bhagavatam)

3 - "Vrajanatha: What are the symptoms of such Lobha?
Babaji: When one hears about the intensely sweet Bhavas of the Vraja-vasis, one’s intelligence (Buddhi-apeksa) begins to consider how one may enter into those dealings. That desire (Apeksa) is the symptom that Lobha has awakened.
All that is needed is the greed for the sentiments of the Vraja-vasis: “What are the sweet Bhavas of the Vraja-vasis towards Krsna? Is it possible for me to obtain such Bhavas? How can this be obtained?” This intense yearning is the symptom of greed, and one who does not have it does not have the Adhikara for Raganuga-bhakti. This you should understand." (Jaiva Dharma)

Sri Jiva Gosvami's Tika Bhakti Rasamrita Sindhu (1.2.292):
tat-tad-bhavadi-madhurye sri-bhagavatadisu siddha-nirdesa-sastresu srute sravana-dvara yat kimcid anubhute sati yac chastram vidhi-vakyam napeksate | yuktim ca, kintu pravartata evety arthah | tad eva lobhotpatter laksanam iti

"When one has got even a slight feeling for the sweet moods of Krsna and His devotees through hearing their descriptions in texts describing the ultimate spiritual goal, such as the Srimad Bhagavatam, [the Raganuga Sadhaka] no longer waits for the injunctions of scripture or for logical reasons to do so, but simply takes up [the Raganuga devotional path]. This is the characteristic of Lobha."

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura explains in his Raga Vartma Vandrika 1.5 how Lobha (greed) is manifested:
"If, after hearing the sweetness of the feelings of the members of Sri Krsna in Vraja Lila, led by amorous passion, you think: "That I can also achieve such feelings."
This is Lobha. And Lobha is the starting point of Raganuga Sadhana Bhakti.

4 - What is the relationship between Lobha and the injunction of the Sastras?

"When Lobha appears, it should not be dependent on Sastric injunction and reasoning. If it is, then it is incompletely established (Asiddhi).” (Raga-vartma-candrika 1.5)
When a devotee awakens this sacred Lobha (at any stage but especially in Bhajana Kriya), that is genuine Lobha. Not just theoretical Lobha. It is not by injunction of the Sastras or imposition of logic, that is, because the Sastras warn that Lobha is the starting point to begin the path of Raganuga, and we have to do for this obligation of the Sastras. No !!!

One might mistakenly argue thus:
== If you have no experience of how the Manjaris are serving Sri Sri Radha-Krsna, how can you say that you really have greed for it? If you say, “I have read about it in Sastra” then that means that your greed is still not independent from Sastra and reasoning. ==

But this argument is wrong !!!

It is wrong to say that Lobha awakening by reading and hearing the pastimes is simply theoretical. It's genuine Lobha. It would be theoretical and based on Sastras and reason if the aspirant would do it as an obligation and enforcement (because everyone is doing, I also have to do), and not by a need and strong desire for a specific relationship (Rasa).

Genuine Lobha occurs when a devotee reads Sastra and hear the Guru and Sadhus. When it is said that Lobha is dependent on the Sastra and reason, it means that a devotee tries to awaken Lobha by obligation or imposition of Sastra and not because aroused a strong and genuine interest.

Not that genuine Lobha can only manifest when the Sadhaka have a "Sphurti" of Parikaras in Ruci. No. Genuine Lobha may occur at any stage since there is a need and strong desire for a specific relationship (Rasa).

In Bhajana Kriya and Anartha Nivrtti, by hearing the pastimes (as described in Srimad Bhagavatam) directly from the Guru and Sadhus, such genuine Lobha awakens as a need and desire for a specific relationship (Rasa) in the same proportion in which there is purification.
And because of this need and urgent desire that constitute the emergence of authentic Lobha, the specification of Ekadas Bhava is necessary, or the11 Bhavas of the Siddha Deha.

In the wake of this Lobha, the devotee in Guru's company (Diksa or Siksa) "builds and become familiar with the components of his Ekadas Bhava. And aims to serve in Lila. Only crave. Smarana at this stage is only to "build" the compoentes of the Siddha Deha. This stage is simply Smarana of these components.

As the Sadhaka progress, genuine Lobha intensifies and the remembrance of Siddha Deha becomes Dharana in Nistha, Dhyana in Ruci, Anusmrti in Asakti and Samadhi in Bhava and Prema.

Note that although Mantramayi Upasana or Yoga Pitha Seva actually occurs in Asakti (when meditation is Anusmrti) in previous stages the Sadhaka can and should become familiar with the scenario of Lila together with his/her Siddha Deha and according to his/her meditation capacity (Smarana in Bhajana Kriya, Dharana in Nistha and Dhyana in Ruci).

5 - For Krama of Nama, Rupa, Guna, Parikara, Seva and Lila.

Sphurti of Nama and Rupa in Nistha.
Sphurti of Guna, Parikara and Seva in Ruci.
Sphurti of Lila (Mantramayi) in Asakti.
Sphurti of Lila (Svarasiki) in Bhava.

It should be noted that when it is said that in the early stages, you must have a Sphurti of the previous to follow the next, Sphurti here simply indicates the manifestation of a need.

For example, here Sphurti of Rupa in Nistha does not mean that the form of Krsna appears to the devotee in Nistha. But simply that there is a need to unite Nama with Rupa and so on.