quarta-feira, 1 de abril de 2009

Svara Saptah (Sete) e a Lei da Oitava - sa, ri, ga, ma, pa, dha, ni, sa.

Porque na Cultura Védica os músicos e artistas são incluídos como Sudras?

Porque são actividades destinadas ao entretenimento de outras pessoas, para fazê-las relaxar e esquecer seus problemas.
Ainda que sejam Ragas Védicas ou músicas muito elaboradas intelectualmente, e sejam necessários diversos conhecimentos de acústica, estética, fisiologia, psicologia, cosmologia (Lei da Oitava), matemática e a execução de artes em geral.

A perfeição da ciência da vibração sonora Védica é expressa no Saptaka Dharma (a Lei da Oitava), que explica que numa oitava (Saptaka) existem sete vibrações sonoras chamadas Svaras que representam a frequência vibracional macrocósmica de todo o Universo.

Srila Prabhupada desaconselhava os devoto(a)s a ouvirem, por exemplo, Ravi Shankar, que embora seja um grande músico do estilo indiano, sua música destina-se simplesmente ao entretenimento. Mas dizia que Shenai era recomendável inclusive na sala dos Templos.

Srila Prabhupada comenta no "Ensinamentos do Senhor Caitanya":

"De acordo com os princípios dos Sannyasis Mayavadis, cantar, dançar e tocar instrumentos musicais é estritamente proibido, pois são consideradas actividades pecaminosas. Os Sannyasis Mayavadis supostamente devem ocupar-se somente no estudo do Vedanta.
Portanto quando os Sannyasis Mayavadi em Benares viram o Senhor Caitanya ocupado em cantar, dançar e tocar instrumentos musicais e sempre cantar Hare Krsna Hare Krsna Krsna Krsna Hare Hare/Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare, eles concluiram que Ele não era educado, e que por sentimentalismo, estava a desviar Seus seguidores."

Fim da citação.

Os monges cristãos da Idade Média, seguindo uma visão aristotélica, também tinham esta mesma posição em relação a música.

Ou seja, os Sannyasis Mayavadis pensam que cantar Hare Krsna e dançar afastam as pessoas daquilo que é o mais importante, e que tais actividades são para pessoas sem educação ou Sudras, quando este afastamento na verdade ocorre com a música comum simplesmente destinada ao entretenimento, seja elaborada ou não.

No entanto, em Bhakti Yoga o objectivo da musica é entreter Sri Sri Radha Krsna, e auxiliar os Vaisnavas e Vaisnavis a relembrarem os passatempos transcedentais do Casal Divino. E assim a música desempenha um papel fundamental no processo de serviço devocional, porque nos capacita a absorvermo-nos naquilo que é o mais importante.

Desta forma, Sri Caitanya Mahaprabhu demonstrou que cantar Hare Krsna e dançar para o prazer das Deidades é o serviço devocional mais importante.

Mahaprabhoh kirtana-nrtya-gita- vaditra-madyan-manaso rasena

"Recitando o Santo Nome, dançando em êxtase, cantando e tocando instrumentos musicais, o mestre espiritual sempre se alegra com o Movimento de Sankirtana do Senhor Caitanya Mahaprabhu."

Todos os instrumentos musicais tem uma personificação na Rasa Mandala. Todas as Asta Sakhis tocam diferentes instrumentos, e Sri Vrnda Devi toca instrumentos que nem estão citados nas escrituras.

Na verdade a música em Goloka Vrndavana é a origem de toda a música.

As tornozeleiras dos pés de Sri Radha geram milhares de Ragas e Talas, e Ela é considerada a artista original mais elevada no que diz respeito a cantar, dançar e tocar instrumentos musicais.

Estudo interessante realizado por Dasanudas Vanacari, Co-Chairman, Docente de Música, Bhaktivedanta Gurukula, Sridham Mayapur, India, intitulado "Svara Saptah - Intonação da Música Vaisnava" em:

http://www.newtalavana.org/ebooks/saptasvarah.pdf

"De todos os tipos de músicas e sons testados por mim, do canto Gregoriano, passando pelo som do tráfego em Nova Iorque até o Rock psicodélico, o estilo Védico de música tem de longe os melhores efeitos.

Dos estilos ocidentais, os únicos que mostram algum efeito positivo são o canto Gregoriano e o Madrigal.
As Ragas Védicas e especialmente a música devocional foram testados e repetidamente executamos todos os outros tipos de músicas e sons, incluindo o som de cachoeiras, vento e das ondas."

Vosso servo
Prahladesh Dasa Adhikari