quinta-feira, 7 de maio de 2015

Escravidão a um nível

Bhaktivinoda Thakura, no seu Sri Caitanya Siksamrita, descreveu que a alma evolui naturalmente de forma ascendente, primeiro do materialismo animalesco, à moralidade teísta do Varnasrama, à Vaidhi Bhakti e finalmente à Raganuga Bhakti, mas nenhuma destas transições são automáticas.

Cada uma requer um grande esforço e desejo de superar o apego a antiga etapa. Como ele escreve:

"No caminho do desenvolvimento gradual, cuidados devem ser tomados para se elevar progressivamente a um nível superior, não importando o nível actual.

Por boa fortuna, a tendência da alma é elevar-se gradualmente, mas certamente existem obstáculos ao longo do caminho, e assim a alma pode não conseguir chegar ao objectivo final.

Aqueles que desejam chegar a um padrão mais elevado devem ser sempre conscientes deste facto.

Na progressão de um nível de vida para o próximo, duas coisas devem ser consideradas.

O aspirante deve estar firmemente fixo numa posição para dar um passo firme para o próximo nível superior. Em seguida, a fim de avançar com sucesso para o nível superior, quando um pé deixa o nível anterior, este mesmo pé deve fixar-se firmemente no nível mais elevado antes que o outro pé possa seguir a este novo nível.

Simultaneamente, o aspirante deve abandonar o apego ao nível mais baixo, tornando-se firmemente estabelecido no nível mais alto.

Ao mover-se muito rapidamente, o aspirante vai cair. Movendo-se muito lentamente os resultados virão lentamente.

Algumas pessoas lamentam que não alcançaram a devoção a Krsna, mas ao mesmo tempo elas não fazem qualquer tentativa real de elevar-se ao nível de Krsna Bhakti.

Elas permanecem vinculadas a um dos níveis e não tentam progredir para as práticas seguintes de nível superior - isto é conhecido como Niyamagraha.

Se as pessoas param em um estágio, como podem esperar avançar para o topo?

Assim, muitos devotos no nível de Vaidhi Bhakti não fazem nenhuma tentativa para avançar para Bhava Bhakti, mas, em seguida, lamentam não terem alcançado Bhava.

Mais uma vez, muitas pessoas permanecem ligados às regras do Varnasrama e são indiferentes a Bhava e Prema. Esta escravidão a um nível é um obstáculo ao seu progresso." (Srila Bhaktivinoda Thakura - Sri Caitanya Siksamrita 3.1)

O Caminho de Raganuga Bhakti é maravilhoso, mas é preciso desejar intensamente. ISTO NÃO acontece automaticamente.

É Preciso despertar Lobha (avidez intensa).

Como?

Ouvindo repetidamente os passatempos de Radha Krsna em Vrndavana  e ouvindo a glorificação dos Acaryas do processo de Raganuga Bhakti, em especial Manjari Bhava. É isto o que os Acaryas mais fazem, glorificar o processo de Raganuga Bhakti em todas as Rasas em especial Manjari Bhava.

Ouvir constantemente, regularmente, diariamente os passatempos de Radha Krsna bem como a glorificação do próprio processo de Raganuga é a forma de alcançar Raganuga Bhakti bem como a essência da própria prática de Raganuga Bhakti.

"Lembrança dos passatempos do Senhor é a vida e a alma do devoto. Lembrar os doces e amorosos passatempos de Radha e Krsna é a essência de todos os processos. Este é o objectivo da vida, bem como a melhor forma de alcançar a meta." (Narottama Dasa Thakura - Prema Bhakti Candrika, 61)

O comentário de Visvanatha Cakravarti Thakura:

"Esta é a essência de todas as instrucções referentes a regras e regulações.

A lembrança dos passatempos do Senhor é o único processo para atingir a meta de sua vida, saboreando as Rasas transcendentais dos passatempos de Radha e Krsna.

Não há maior objectivo ou processo do que isto. A lembrança dos passatempos de Sri Sri Radha Krsna é a essência de todas as instrucções dadas nas escrituras."

Para isto, o argumento é dado:

"A essência de Vrindavana é o serviço altruísta, não tentar saborear Krsna Lila. A essência de Vraja é esquecer qualquer desejo pessoal, incluindo o desejo de saborear a felicidade, e sim fazer o que vai agradar a Krsna."

E este é um argumento válido especialmente direccionado àqueles que querem ficar reclusos sem ajudar os demais, porque os seguidores de Srila Prabhupada não são Bhajananandis reclusos sem contacto com o mundo. Eles actuam de forma prática para ajudar as pessoas.

Mas o ponto aqui é que Gostyanandis devem ser Bhajananandis em simultâneo. Como salientado por Srila Bhaktisiddhanta: “Um Gostyanandi é um Bhajananandi que prega.”

E assim:

"A razão para desejar Vrindavana não é para a felicidade pessoal, mas porque Krsna deseja os Vrajavasis. Ele é viciado no amor superpoderoso dos Vrajavasis. Com o desejo de dar a Krsna o que Ele MAIS QUER, desejamos sinceramente Vrindavana Bhakti."

Um Gostyanandi que ao mesmo tempo é um Bhajananandi serve externamente e internamente.

Não pode ser somente o serviço externo e nem somente o serviço interno. Deve ser os dois em simultâneo.

E assim o devoto(a) é feliz porque serve interna e externamente. Não há nenhum mal em buscar a felicidade de servir à Krsna. Os devotos são felizes.

O devoto(a) faz a austeridade e sacrifício de sair e dar a Consciência de Krsna para os outros, mas também desfruta da felicidade interna de servir à Krsna.

Salientando que a lembrança dos passatempos de Krsna só é possível quando em primeiro lugar é recitado o Maha Mantra Hare Krsna.

"Vaidhi-bhakti, isto é aprendizagem. Bhakti verdadeira, Para-bhakti, é Raganuga-bhakti. Esta Raganuga-bhakti, nós temos que alcançar depois de passar Vaidhi-bhakti. No mundo material, se não tentamos fazer mais e mais progresso em serviço devocional, se estamos simplesmente aderindo ao processo de regulação Sastrica e não tentamos ir além disto... Portanto, não estamos a saborear realmente." (Srila Prabhupada - Palestra sobre SB 1.2.33 - Vrndavana, 12 de novembro de 1972)