quarta-feira, 26 de março de 2008

Dvadasa Bhuja, a forma de doze braços de Sri Gauranga Mahaprabhu descrita no Sri Caitanya Mangala e que foi mostrada a Sri Nityananda Prabhu.

Esta Deidade encontra-se no Sri Caitanya Dandabhanga Lila Kunja Asrama da ISKCON, na Orissa.

No seu Sri Gauranga Ashtottara Sata Nama Stotra, Sarvabhauma Battacarya cita:

Gada Pani - Aquele que segura uma maça
Cakri - segura a Cakra
Padma Dhara - segura o lótus
Panca Janya Dhara - segura a concha Panca Janya
Sarngi - segura o arco
Venu Pani - segura a flauta

Aqueles que adoram esta forma tem como destino Krsna Prema.

Causas Internas e Externas

Assim como existem causas internas e externas ou primárias e secundárias para o aparecimento de Krsna também existem causas internas e externas para o aparecimento de Sri Caitanya.

Cc Adi 36-37
"Assim como estes desejos são a razão fundamental para o aparecimento de Krsna enquanto que destruir demônios é só uma necessidade incidental, da mesma forma para Sri Krsna Caitanya, a Suprema Personalidade de Deus, propagar o Dharma da era é incidental."

Paritranaya sadhunam vinasaya ca duskritam (BG 4.8)

Sri Krsna aparece para mostrar diferentes passatempos amorosos em diferentes Rasas (Rasaraja Sri Krsna).
Esta é a causa interna ou primária.

A causa externa ou secundária é que Ele mata muitos demônios (que na verdade são mortos por Visnu contido em Krsna)

Em relação a Sri Caitanya Mahaprabhu:

O Sri Caitanya Caritamrta explica três causas internas para o aparecimenbto de Sri Caitanya:
1 - Desfrutar da posição exaltada e única de Sri Radha
2 - Entender a doçura dEle mesmo. Somente Sri Radha consegue fazê-lo.
3 - Desfrutar da bem-aventurança de Sri Radha.

Também fala acerca de dois motivos:
Cc Adi 4 15-16
"O desejo do Senhor de aparecer deve-se a dois motivos.
Ele queria saborear a doce essência das doçuras do amor à Deus, e queria propagar o serviço devocional na plataforma de devoção espontânea (Raga Bhakti).
Assim Ele é conhecido como o mais jubilante e o mais misericordioso."

Cc Adi 4.17
"Todo o Universo esta repleto da concepção da Minha majestade, mas o amor demonstrado por este sentido de majestade não Me satisfaz."

Cc Adi 4.18
"Se alguém Me considera como O Senhor Supremo e ele mesmo como subordinado, Eu não me torno subserviente do Seu amor, nem este amor pode Me controlar."

Raga Bhakti

O devoto(a) vai desenvolvendo uma certa atracção e relacionamento (Rasa) por Krsna (Ajata Ruci Raganuga), até o ponto em que esta atracção e relacionamento amadurecem (Jata Ruci Raganuga) e Yogamaya toma lugar.

Yogamaya faz com que o próprio Krsna pense e sinta que não é Deus, e faz o devoto pensar e sentir que Krsna não é Deus.

Este ponto é primorosamente explicado no Sri Sri Ragma Vartma Candrika de Srila Visvanatha Cakravarti Thakur.

Assim é o caminho de Raga Bhakti no humor de Sri Vrndavana seguindo um associado íntimo de Krsna em Vraja.

Krsna passa a considerar-nos os melhores amigos em Sakhya Rasa, passa a considerar-nos pai e ou mãe em Vatsalya Rasa e passa a considerar-nos Suas amantes em Madhurya Rasa e por sua vez, passamos a considerar Krsna como nosso melhor amigo em Sakhya Rasa, nosso filho querido em Vatsalya Rasa e nosso amante em Madhurya Rasa.

Pela acção de Yogamaya os relacionamentos amorosos decorrem sem empecilhos derivados de Asvarya Jnana.

Vosso servo
Prahladesh Dasa